Na última quinta-feira (29) o foguete Long March-5B foi utilizado para o lançamento do módulo central da Espação Espacial Chinesa.

Porém, o foguete precisa retornar à Terra, e o problema é justamente esse.

Segundo a SpaceNews, o foguete que está retornando para a Terra, está viajando a 7 km/s, e pode atingir alguma local civilizado.

Depois de colocar o módulo Tianhe em órbita, o impulsionador se separou dele.

Mas o primeiro estágio do Long March-5B também foi parar nesta região do espaço por algum erro desconhecido, e o seu atrito constante com a atmosfera da Terra tem trazido os destroços cada vez mais próximo do planeta.

O estágio central do foguete chinês, possui cerca de 30 metros de comprimento, 5 metros de diâmetro e pesa 21 toneladas, e não vai se destruir por completo na entrada na atmosfera, justamente por conta do seu tamanho.

Foto: Reprodução Xinhua

A empresa responsável pelo foguete não conseguiu definir o local exato da queda, pois existem diversas dúvidas envolvidas no cálculo do efeito atmosférico na nave.

Suspeita do local de queda

Mesmo não sabendo o local e data da queda com precisão, a inclinação orbital do objeto, 41,5 graus, indica que os destroços passem ao norte de cidades como Nova York, Madri e Pequim.

Também vai passar ao sul do Chile e da Nova Zelândia.

A possibilidade de cair no oceano é maior, porém é importante a população mundial ficar atenta aos possíveis destroços.

O astrônomo Jonathan McDowell considera o erro da agência espacial chinesa "inaceitável", este é o maior destroço caindo de forma descontrolada na Terra nos últimos anos.