Na medida que o fim do ano vai se aproximando, a expectativa da chegada de um novo ano faz com que as pessoas formulem uma série de projetos para suas vidas. Muitas vezes, acabam constatando a necessidade de investir nelas mesmas, adquirindo novos conhecimentos e isso, consequentemente, poderá levá-las a outras áreas de atuação.

O ser humano está em constante procura por satisfação pessoal, mas também necessita de satisfação profissional, pois sem esta todas as demais conquistas não o colocam em plenitude.

Entretanto, encontramos pessoas lamuriando-se das suas condições de trabalho, da ausência de reconhecimento por parte dos empregadores e dos clientes, rotinas pesadas em produção, aquisição de doenças ocupacionais, distúrbios do humor, entre outras características negativas que se acumulam por anos e, às vezes, por toda a vida laboral.

Todo esse sofrimento culmina com a somatização de doenças quando este elevado grau de insatisfação não permite a interação humana e a troca de experiencias e emoções. Também há aqueles casos onde o trabalhador atua em ocupação aquém de suas capacidades e potencialidades, aumentando ainda mais suas frustações. É diante deste cenário que emergem as atividades laborais das áreas humanas que trazem em sua vocação o atendimento aos nossos semelhantes. Destaca-se, aqui, a enfermagem.

É inegável o elevado nível de satisfação evidenciado nos trabalhadores da área da saúde, em relação à sua dinâmica de trabalho, e dos desafios diários que requerem criatividade para vencê-los.

Além disso, há o exercício de atuar em equipe todos os dias, a sensação do dever cumprido, da alegria de compartilhar dos bons momentos das famílias diante do nascimento de um bebê e, também, o entendimento de que a morte é única certeza que temos.

Claro que a enfermagem é uma ciência que ainda tem um longo caminho a percorrer. Ainda há luta por maior reconhecimento e espera pela Lei do Piso Salarial e da redução de carga horária para 30 horas semanais. Mas esta área segue sempre esperançosa, confiante de sua importância, buscando aprimoramentos em busca da excelência no atendimento ao público.

É preciso destacar a notória satisfação no exercicio desta profissão. Sempre que os alunos do Curso Técnico de Enfermagem conquistam o  primeiro emprego como auxiliares de enfermagem ou até mesmo um estágio não obrigatório remunerado, é visivel e até mesmo contagiante a alegria que demonstram, como se um novo mundo fosse descortinado em frente aos seus olhos.

Portanto, a dica para as pessoas que se identificam com as áreas humanas, tendo ou não algum contato prévio com este universo é: seja um técnico de enfermagem!

Um grande leque de oportunidades de trabalho aguardam os técnicos em enfermagem em nossa região.

A ETEJ (Escola Técnica de Enfermagem), ao longo de 15 anos à frente da formação desses profissionais, também fomenta a indicação e promoção de oportunidades de trabalho para os recém-formados. Frequentemente, a escola é procurada por empresas que estão em busca de profissionais na área da saúde para contratação.

A partir de outubro de 2018, as matrículas estarão abertas para os cursos na área da saúde. Os cursos terão início em 2019

  • Rua Amazonas, 435 - Centro, Jaraguá do Sul
  • www.enfermagemjaragua.com.br
  • (47) 3376-4296  • 98834-5960