Feito em parceria entre as Secretarias de Educação e Saúde do Governo de Criciúma, o projeto Aprender é Saudável foi lançado em maio deste ano e desde então vem cumprindo seu objetivo de promover a prevenção da obesidade em crianças e adolescentes nas escolas municipais, por meio de atividades físicas e de alimentação saudável.

Alusivo à campanha, foi realizado encontro no Paço Municipal Marcos Rovaris, onde foram mostradas algumas ações do programa e o planejamento para 2020.

Uma das ações do projeto foi a formação de profissionais durante todo o ano de 2019.

O último encontro desse ano contou com a análise do estudo de pós-graduação intitulado ‘Prevenção da Obesidade Infantil na Pré-escola:

O objetivo é estimular a importância da prática de exercícios físicos e da alimentação, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

"As atividades físicas além de trazer benefícios físicos, também ajudam a melhorar a saúde mental, mas para que elas tenham efeito, é necessário também cuidar da alimentação”, explicou o professor de Educação Física.

Segundo a coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação, Daniela Chagas Pacheco a educação pode ser transformadora e influenciar a vida saudável.

“Na escola as crianças aprendem que fazer exercícios e ter uma alimentação saudável é algo bom para eles, que se tornam multiplicadores levando essas informações para casa”, afirmou.

Controle nutricional

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) contam com antropômetro e balança portáteis, que são disponibilizados para as escolas fazerem controle nutricional das crianças. “Alunos que estão com Índice de Massa Corporal (IMC) acima da média, é enviado um bilhete para os pais informando sobre.

É papel dos pais ou responsáveis agendarem a consulta para os filhos na Unidade de Saúde local”, comentou a coordenadora de Alimentação e Nutrição, Ana Paula Aguiar.

Cada escola exerce seu papel também influenciando na alimentação saudável. “Em cada escola é realizado o incentivo de consumo de frutas, verduras e outros alimentos saudáveis.

Na escola buscamos fazer a educação alimentar e é preciso que os pais continuem o trabalho em casa”, complementou Ana Paula.

Fonte: Assesoria de imprensa

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger