Criciúma completou um mês sem mortes em decorrência da Covid-19. O último óbito causado pela doença no município foi registrado no dia 14 de abril. A vítima, um homem de 47 anos, morreu no dia anterior. Segundo o secretário de Saúde, Arleu da Silveira, a campanha de imunização desenvolvida na cidade teve um papel importante para se atingir esse período sem mortes.

"Os profissionais da saúde fizeram um trabalho de excelência nesses últimos dois anos e, também graças à colaboração da população, que buscou os postos para receber o imunizante, hoje temos uma situação bem melhor em relação à Covid", ressaltou o secretário. Nos últimos dias, os números de casos no município tiveram um leve aumento. Mas, apesar do surgimento de alguns novos casos, eles não têm evoluído para formas graves da doença. "Os números estão aí e provam que a vacina é eficaz. Eu acredito na ciência!", reforçou.

A campanha de vacinação contra a Covid-19 teve início com a aplicação da primeira vacina no dia 19 de janeiro de 2021. Atualmente, a quarta dose, também chamada de segunda dose de reforço, está sendo aplicada em pessoas acima de 70 anos e para idosos institucionalizados – que residem em casas de repouso, asilos, abrigos, etc - acima dos 60.

"Sabe-se que, a partir de quatro meses, o efeito do imunizante tende a diminuir, reduzindo mais significativamente a partir de cinco meses. Por isso, certamente outras faixas etárias precisarão tomar a quarta dose", afirma o gerente de Vigilância em Saúde de Criciúma, Samuel Bucco. É preciso, portanto, estar atento ao calendário vacinal. "Para mantermos o cenário estável, as pessoas devem continuar procurando os postos para tomar a terceira e quarta dose", lembrou.

Até o momento, foram registradas 723 mortes em decorrência da Covid-19 em Criciúma. Desde o início da campanha de vacinação contra a doença, foram aplicadas mais 443.737 doses.