Creches e escolas de Forquilhinha reforçaram a segurança após tragédia, no oeste do estado, na cidade de Saudades. Um exemplo delas, é o CEI Zilda Arns, no bairro Vila Lourdes, que adotou novos métodos de segurança. A partir desta terça-feira (11), a rotina de acesso mudou para melhorar as condições de segurança das crianças. O município conta com onze Centros de educação infantil e seis escolas municipais de 1º ao 5º ano.

De acordo com a diretora do CEI, Lucinara Tramontin, mudanças como a entrada da escola permanecer sempre fechada, sendo aberta somente quando o pai se aproxima e a colocação de uma campainha e interfone. “Os pais e professores se sentem mais seguros. No Plancon era determinado que os pais não entrassem na unidade, mas após a tragédia reforçamos as medidas de segurança. No final do dia, existe uma lista com o nome dos alunos em todas as salas e mediante a confirmação do responsável liberamos a porta para ser entregues as crianças”, revela.

O secretário de educação, Félix Hobold destaca que todas as medidas são necessárias para garantir ainda mais a segurança dos nossos alunos. “Passamos por essa tragédia no oeste do estado e ficamos ainda mais preocupados com a segurança de nossas crianças. Estamos em processo de licitação para garantir a ampliação de ações necessários com interfones e manutenção nos portões eletrônicos para tornar nossas unidades escolares ainda mais seguras”, afirma.

O CEI Zilda Arns conta com 194 alunos etapa creche e pré-escola, 37 profissionais trabalham na unidade.

Alívio para os pais

Os pais garantem que as novas medidas trazem um alívio. “Fico bem contente e as novas medidas que trazem alívio aos pais. Tudo que seja feito para a proteção dos nossos filhos são bem-vindas”, destaca Andriele João, mãe de Iasmin, de 5 anos e Helena, 1 ano.

Já para a mãe e estagiária no CEI desde que começou a trabalhar na unidade era tranquilo. “Após a tragédia reforçamos as medidas de segurança para garantir que os pais tragam seus filhos assim como eu com tranquilidade”, finaliza Débora Romam, mãe de José, de 1 ano.


Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp