Em reunião realizada na tarde desta terça-feira, entre representantes dos 12 municípios da Região Carbonífera, ficou decidido que não haverá o lockdown (bloqueio total), tampouco alguma medida ainda mais restritiva.

Segue o decreto do Governo do Estado, como a suspensão do transporte coletivo por 14 dias, contando de ontem; o acesso a espaços públicos, como parques, praças e praias e o retorno das aulas presenciais para 7 de setembro. O decreto estadual previa para 3 de agosto.

A medida vale para as regiões consideradas como gravíssimas em risco de contágio do novo coronavírus, e a Carbonífera é uma delas.

O anúncio da continuidade da normalização foi feito pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, em suas redes sociais.

“Não para absolutamente nada. Os 12 municípios tomaram a decisão. Tudo trabalhando de forma normal, mas claro, com a máscara com o álcool em gel. É preciso que todas as pessoas tomem os cuidados, mas também é preciso trabalhar. Nós podemos preservar a vida e a saúde das pessoas sem prejudicar tanto a economia e também o nosso orçamento familiar”, ressaltou.

Anúncio foi feito pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, em suas redes sociais / Fotos: Reprodução

Lockdown

Salvaro voltou a criticar as medidas mais restritivas, como o lockdown, por exemplo, ou mesmo o fechamento de atividades ou serviços, como acontece na região da Amurel.

“Defender o tal de lockdown é fácil, né ?! Para quem tá com o salário garantido, o dinheiro do rancho garantido, é fácil. E para aqueles que precisam trabalhar, como é que fica? Então todos ao trabalho, com todo o cuidado que o momento está exigindo de todos nós”, observou.

O prefeito da maior cidade do Sul catarinense acrescentou que, dos 28 leitos de UTI do Hospital São José, somente sete estão ocupados por moradores da cidade.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul