A atualização da Matriz de Risco Potencial, divulgada neste sábado (10) pelo Governo de Santa Catarina, classifica 12 das 16 regiões em alerta gravíssimo (cor vermelha) e quatro em risco grave (cor laranja) para transmissão do coronavírus.

No último boletim, apresentado em 3 de abril, apenas a região de Xanxerê encontrava-se no nível grave e as demais estavam em estado gravíssimo. No levantamento desta semana, a região de Xanxerê regrediu ao patamar mais alto, enquanto as regiões Carbonífera, Extremo Sul, Foz do Rio Itajaí e Grande Florianópolis foram reclassificadas para o nível grave.

Mesmo com a redução do risco em quatro regiões, os dados da dimensão da Capacidade de Atenção, que aponta a ocupação de leitos hospitalares, ainda se encontram no nível mais alto em todos os locais. O índice que passou por maior redução foi o de transmissibilidade, recebendo no máximo nota 3 (de 0 a 4) em todas as regiões.

Segundo a cientista de dados Bianca Vieira, existe uma tendência de leve melhora de indicadores verificada pela segunda semana consecutiva, principalmente em relação ao evento sentinela (mortes pela doença) e transmissibilidade. “A ocupação hospitalar ainda é elevada apesar da leve melhora em alguns outros quesitos”, apontou.