Autoridades do Município de Criciúma, em especial da Saúde, estiveram reunidas na manhã desta sexta-feira, com o prefeito Clésio Salvaro, em uma live para ressaltar a importância da imunização completa contra a Covid-19.

Na cidade, cerca de duas mil pessoas ainda não comparecem para tomar a segunda dose da vacina.

Segundo o prefeito, a vacinação é de interesse coletivo, e não individual e, aquele que não comparecer para a imunização da segunda dose sem atestado médico ou justificativa plausível, após dez dias do limite (AstraZeneca 84 dias e CoronaVac 28 dias), dará a vez para quem ainda não foi imunizado. Ou seja, essa dose que estaria disponível para segunda aplicação irá ser aplicada pela primeira vez em quem ainda não foi contemplado.

O secretário de Saúde, Acélio Casagrande, colocou, em números, a importância da vacinação.

Segundo ele, 84% da população de Criciúma acima de 18 anos já está vacinada, ou seja, são 120 mil vacinados. Desses, 54 mil já entre a segunda dose e a única, somando 36% da população com a imunização completa, ou seja, com a segunda dose.

“Um percentual alto e, com certeza, se essas duas mil pessoas que não fizeram, tivessem feito, estaríamos com 38% da população de Criciúma vacinada. Para quem tem dúvida ainda da eficácia da vacina tenho um dado importante para passar: No dia 15 de março, no início da vacinação, nós tínhamos 256 pessoas internadas em Criciúma, hoje são 46. Fruto das vacinas aplicadas. Nós tínhamos uma média de óbitos, lá em dezembro do ano passado, com a média de idade de 77 anos. Com efeito vacina houve uma diminuição de 21 anos de idade, ou seja, nós passamos a julho a ter a média de óbitos de 56 anos. E esse mês de agosto já os indicadores nos levam a média de 48 anos. Então isso é o significado realmente das vacinas”, exemplificou, chamando as pessoas para a imunização completa (duas doses).

Segundo ele, no Hospital São José mais de 100 colaboradores estavam afastados antes à vacina e ontem já não havia ninguém.

“Se há algum dúvida ainda da eficácia da vacina, esses números comprovam a sua eficiência. São números como esses que nos dão a certeza de que estamos no caminho certo. Essa medida que o prefeito anunciou vai ajudar muito na saúde pública. Ninguém paga nada, é tudo gratuito”, apontou.

Acélio disse que a cidade ainda não chegou a 50% de vacinação contra a Influenza (gripe), sendo que no particular a dose custa R$ 120, mas está disponível de graça nos postos de saúde.

“É um sinal de que as pessoas ainda têm que se conscientizar da importância das vacinas. Temos todas as condições de, em 12 horas, aplicar cinco mil doses”, afirmou.

O gerente da Vigilância em Saúde de Criciúma, Samuel Bucco, lembrou ainda da diminuição de casos ativos e ressaltou a importância da vacinação completa devido às variantes do vírus.

“Tínhamos uma média de 800, mil casos ativos. Hoje são menos de 200 pessoas ativas, transmitindo ainda o vírus. Estudos indicam que para essa variante Delta a segunda dose é extremamente importante", declarou.

Vacinação

Nesta sexta, até às 21h, a imunização está ocorrendo nas unidades de saúde e, amanhã, no Salão Paroquial da Santa Bárbara, das 8h às 17h, para pessoas acima de 28 anos e acima de 25 anos, no caso de trabalhadores da indústria.

Segunda dose

As pessoas que fizeram a primeira dose da AstraZeneca até 28/05, podem se vacinar também nesta sexta-feira (6).

Gestantes que fizeram a primeira aplicação com AstraZeneca também podem fazer a segunda dose Pfizer, que está disponível apenas no Salão Paroquial de Santa Bárbara. A vacinação deste público está sendo feita por orientação da Anvisa, por meio de nota técnica.