Tomar café bem cedinho com delícias caseiras ouvindo o canto dos pássaros, respirar o ar puro do campo, provar a fruta sem agrotóxicos recém colhida do pé, fazer uma trilha ou algo mais radical...

Atividades tão simples como essas são um luxo para quem vive nas grandes cidades. E é pensando nesse público que o agroturismo vem se fortalecendo na região.

O programa "Acolhida na Colônia" – modelo criado na França, na década de 1980 – venceu mais uma etapa para sua implantação na última semana.

Os municípios de Corupá, São Bento do Sul, Campo Alegre e Rio Negrinho, que formam o Consórcio Intermunicipal Quiriri, fundaram a Associação de Agroturismo Acolhida na Colônia - Encantos do Quiriri.

Turista pode participar do dia a dia do colono, que inclui a lida na roça: plantio, trato do gado, colheita da banana e outras atividades | Foto Eduardo Montecino/OCP News

A entidade já conta com 38 membros e uma variedade de produtos e serviços. Um desses sócios é Rafael Rodrigo Hoch, 28 anos, que há dois anos largou o emprego formal para empreender no campo. Ao fazer um curso de Jovem Aprendiz na Epagri, ele optou por inovar.

Decidido entrar no programa onde turistas são hospedados por produtores, convenceu a família de que a casa construída em 1922 e todas as atividades do cotidiano poderiam ser mais valorizadas.

A principal renda dos Hoch ainda vem da bananicultura, mas o espírito empreendedor de Rafael está mudando esse cenário.

“O programa vem para complementar a nossa renda na roça e valorizar o trabalho do colono, pois vamos continuar fazendo as atividades do dia a dia. Aqui somos agricultores, pedreiros, carpinteiros, engenheiros, fizemos tudo sozinhos”, destaca.

Rotina no campo

Juliano Millnitz (E) destaca que a proposta quer dar ao visitante uma experiência autêntica, onde ele se adaptará à vida no campo | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Na propriedade, há criação de animais, como porcos, coelhos e galinhas, produção de verduras, além da plantação de banana. Outro detalhe que chama atenção é que Hoch não tem o estilo tradicional do colono.

Conectado com o mundo, o jovem tatuado diz ter orgulho do ofício que escolheu e que lhe permite “ser tudo”. “O colono faz tudo, produz muitas coisas e ainda consegue empreender”, diz.

A casa quase centenária recebeu a primeira reforma no ano passado e continua com as características originais. A ampla cozinha possui fogão à lenha e os cômodos são simples, mas estão totalmente abertos para acolher quem desejar sentir como é a vida no campo.

Próximas etapas

Coisas simples, como degustar a comida preparada no fogão a lenha, farão parte da experiência | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Desde que o programa começou a ser desenvolvido nos municípios do Quiriri há cerca de oito meses, foram feitas visitas técnica e diagnósticos dos produtores rurais interessados em participar.

De acordo com o secretário de Turismo, Esporte e Lazer de Corupá, Juliano Millnitz, agora inicia a fase de criação dos roteiros, instalação da sede da associação, elaboração do site e conclusão dos ajustes nas propriedades envolvidas. A expectativa é de que o Acolhida na Colônia tenha início em 2019.

“O escritório da associação vai direcionar o trabalho, oferecendo ao turista aquilo que ele deseja. Será possível optar por vida na roça, esportes radicais, turismo religioso e outros passeios. A próxima etapa será desenvolver esses roteiros”, explica Millnitz.

O secretário enfatiza que esse programa dá oportunidade aos colonos de continuarem em casa, acolhendo o turista com a estrutura que já possuem, “sendo o mais autêntico possível”. O programa tem apoio das Prefeituras e Epagri.

Quer receber as notícias no WhatsApp?