O Conselho Universitário (CUn) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) rejeitou, integralmente, a adesão da instituição ao programa Future-se, proposto pelo Ministério da Educação (MEC). O Future-se busca, segundo o MEC, o fortalecimento da autonomia administrativa, financeira e da gestão das universidades e institutos federais, em parcerias com organizações sociais.

A decisão foi tomada em sessão aberta realizada na tarde desta terça-feira (3), quando docentes, servidores técnico-administrativos em Educação (STAEs), estudantes e entidades representativas da Universidade lotaram o Auditório Garapuvu e a área em frente ao Centro de Cultura e Eventos Luiz Carlos Cancelier de Olivo, no Campus Florianópolis, para a deliberação.

Posição do CUn foi pela rejeição do Future-se | Foto Jair Quint/UFSC

O posicionamento do Conselho Universitário foi expresso por meio de uma moção, aprovada por maioria absoluta. “Num contexto de medidas de bloqueio e drásticos cortes orçamentários ao qual estão submetidas as Instituições Federais de Ensino Superior (IFEs) e da absoluta ausência de diálogo para a propositura desse Programa, a análise do projeto de lei trouxe muitas incertezas quanto aos reais benefícios em prol da manutenção financeira de todo o sistema universitário público e muitas dúvidas a respeito dos impactos acadêmicos que o Programa pode trazer às IFEs”, diz o texto.

Na abertura da sessão, o reitor anunciou a manutenção do funcionamento do Restaurante Universitário (RU) e a permanência das bolsas de ensino até o esgotamento dos recursos disponíveis para o ano letivo, mediante o bloqueio orçamentário.

“Vamos manter o RU aberto até acabar o dinheiro. Acabando o dinheiro, o Restaurante fecha, a Universidade fecha”, disparou o Reitor.

Receba as notícias do OCP no WhatsApp: