Por Dyovana Koiwaski | Foto Eduardo Montecino Os 37 responsáveis pela 29ª edição da Schützenfest se apresentaram na última quinta-feira  (1) no Centro Histórico de Jaraguá do Sul. Eles compõem a Comissão Central Organizadora (CCO) da festa e já se dedicam aos preparativos para oferecer a típica celebração germânica ao público. Alcides Pavanello volta à presidência da CCO neste ano, após comandar as festas em 2010, 2011 e 2012. Segundo ele, o formato utilizado para organização da Festa dos Atiradores na última gestão será mantido. “Estamos muito entusiasmados por fazer parte dessa equipe e pretendemos continuar resgatando o verdadeiro propósito da festa, valorizando a cultura alemã e as sociedades de tiro”, comenta Pavanello. A expectativa, conforme o presidente, é superar o número de visitantes registrados no ano passado, de 85.369 mil pessoas. “Quem não foi à festa nos últimos anos não pode deixar de ir e conferir a qualidade atual da Schützen. Garanto que elas sairão satisfeitos e orgulhosos”, aponta Pavanello. Com a experiência desta edição, a comissão projeta comemorar os 30 anos de tradição de maneira grandiosa em 2018, com muitas novidades. A vice-presidente da comissão e secretária de Cultura, Esporte e Lazer, Natália Petry, afirma que os servidores e membros da sociedade envolvidos na preparação da festa irão buscar os melhores atrativos para a comunidade, desde bandas, gastronomia, bebidas e folclore. Outro objetivo, de acordo com Natália, é oferecer um ambiente organizado e familiar para o público. Novo no cargo de presidente da Associação de Clubes e Sociedade de Tiro do Vale do Itapocu, Sido Hornburg conta que, no primeiro contato, as sociedades se mostraram animadas para a festa. “Procurei transmitir que, se todas participarem ativamente da organização e derem o seu melhor, esse ano a festa será novamente um sucesso, do jeito que os jaraguaenses merecem”, enfatiza Hornburg. Segundo Natália, o orçamento aplicado na festa está estimado em R$ 1,1 milhão. Em 2016, a renda bruta da Schutzen chegou a R$ 1.130.579,82, sendo o suficiente para bancar todas as despesas, que totalizaram R$ 1.053 milhão. O superávit de R$ 77,3 mil deixado no ano passado será revertido para esta edição. A CCO também destacou que um grupo será formado para estudar a criação do Instituto Schützenfest. Conforme Pavanello, a mudança traria maior autonomia para organização. “Dessa maneira, as negociações se tornam mais fáceis e não dependemos apenas das licitações. Também podemos buscar recursos através da Lei Rouanet e ministérios, como o de Turismo, Esporte e Cultura”, observa o presidente. A intenção é concluir a criação do instituto nos próximos três anos.