A Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio da Gerência de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, inicia nesta sexta-feira (1º), a Campanha de Prevenção ao HIV. A ação que ofertará testes rápidos para HIV, sífilis, hepatite B e C, além de orientações e vacinação para todas as idades acontece na Praça Ângelo Piazera, no espaço térreo da Scar, a partir das 14h e se estende até as 20h. Já, no sábado (2), será das 10h às 17h30. Este esforço visa enfatizar a importância da testagem, do diagnóstico precoce e da prevenção do HIV.

A gerente de Vigilância Epidemiológica, Talita Piccoli Sevegnani, ressalta a importância da campanha. “A prevenção e o controle do HIV são desafios importantes para a saúde pública em nosso município e em todo o mundo. Iniciativas como estas são cruciais para promover a conscientização e incentivar as pessoas a fazerem o teste. Com um diagnóstico precoce, podemos melhorar significativamente a qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV".

Também haverá orientações sobre prevenção, distribuição de preservativos, informações sobre a Profilaxia pré e pós-exposição ao HIV (PEP e PrEP).

Essa iniciativa está alinhada com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 3.3, que visa por fim à epidemia de AIDS até 2030. A Campanha de Prevenção ao HIV é uma oportunidade para celebrar as conquistas já alcançadas, mas também para lembrar que a conscientização contínua e a testagem são essenciais para atingir esse objetivo global.

Foto: Divulgação/PMJS

Boletim Epidemiológico

De acordo com os dados do Informe Epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde, entre os anos de 2018 e 2022, foram notificados 313 casos de HIV e Aids em Jaraguá do Sul. O ano com maior número de casos registrados foi 2019 (78) e o ano com menor número de notificações do agravo foi 2020 (33). Os números de casos de HIV e Aids no ano de 2018 equipararam-se, sendo esse um dado preocupante, visto que o diagnóstico precoce é o ideal para evitar o adoecimento, o surgimento de comorbidades e até o óbito. Nos anos seguintes, mais casos de HIV foram registrados, quando comparados aos números de Aids.O acesso ao teste rápido em todas as Unidades de Saúde do município, assim como no Centro de Testagem e Aconselhamento, facilita o diagnóstico precoce, melhorando este indicador ao longo dos anos.

Em todos os anos avaliados houve uma prevalência de casos de HIV/Aids no sexo masculino. Em relação à faixa etária, dos 313 casos notificados entre 2018 e 2022, mais de 40% tinham de 20 a 29 e mais de 30% entre 30 e 39 anos. Quanto à escolaridade, o maior número de diagnósticos no período foi em pacientes com ensino médio completo (139), seguido do ensino superior completo, com 50 casos.