Funcionários da Comcap decidiram paralisar os serviços de coleta e limpeza urbana em Florianópolis, por 24 horas, após assembleia do Sintrasem, na manhã desta quarta-feira (18). Para a direção da Companhia Melhoramentos da Capital, a medida é despropositada, já que todas as reivindicações relativas ao acordo coletivo estão mantidas e serão tomadas medidas para descontar o dia parado dos trabalhadores. A paralisação está relacionada à votação do Projeto Creche e Saúde, que será votado na Câmara de Vereadores, podendo autorizar ou não a prefeitura a terceirizar serviços de saúde e educação, o que deixa os servidores ainda mais insatisfeitos. Em assembleia, os trabalhadores avaliaram que o projeto das O.S. destrói o serviço público e abre brecha para privatização da Comcap. Eles também exigem mais investimento da empresa em equipamentos e a resolução do problema com os caminhões quebrados. A Prefeitura divulgou que caso a greve da Comcap seja mantida na quinta-feira (19), será iniciado processo de contratação de outra empresa para realizar os serviços de coleta de lixo em Florianópolis e que os custos serão cobrados do Sindicato dos Servidores Municipais, visto que a paralisação foi considerada ilegal, conforme decisão judicial. Na tarde desta terça-feira (17), o desembargador Hélio do Valle Pereira determinou a retomada dos serviços e o fim da greve dos servidores na capital. O Sintrasem afirmou que, mesmo com a determinação, seguirá com a paralisação.