Conforme classificação de risco da pandemia do coronavírus, atualizada nesta quarta-feira (15) pelo Governo de Santa Catarina, a região do Médio Vale do Itajaí, que inclui cidades como Blumenau, Indaial, Gaspar e Brusque, está no nível considerado "gravíssimo", o último na escala.

A metodologia foi adotada pela Secretaria de Estado da Saúde no início de junho, para auxiliar as prefeituras catarinenses na tomada de decisões sobre a liberação ou restrição de atividades. Desde então, o Médio Vale do Itajaí vinha sendo enquadrada como risco "alto" ou "grave".

Agora, com a disparada do número de casos e óbitos pela Covid-19, a região recebeu a pior classificação, que leva em conta o índice de isolamento social, a ampliação dos leitos de UTI, a testagem da população e o fluxo de atendimento nos serviços de saúde.

Atualmente, as 14 cidades que compõem a Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi) somam 8.029 casos e 51 óbitos relacionados à doença, de acordo com dados divulgados pelas prefeituras. Há duas semanas, eram 3.871 casos e 22 mortes, ou seja, os números mais que dobraram. Todos os municípios já registram a circulação do vírus - até esta quarta-feira, Doutor Pedrinho era o único que ainda não possuía infectados.

No nível gravíssimo, as prefeituras são orientadas pelo Governo do Estado a adotarem medidas mais rígidas de restrição da circulação de pessoas e funcionamento de serviços considerados não essenciais, para frear a rápida disseminação do vírus. Blumenau, por exemplo, já suspendeu o transporte coletivo por 14 dias.

Das 16 regiões de Santa Catarina, sete estão no nível gravíssimo. São elas: Foz do Itajaí-Açu, Xanxerê, Laguna, Grande Florianópolis, Nordeste (Joinville) e Carbonífera, além do Médio Vale do Itajaí.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Telegram Jaraguá do Sul