Fechada para a população, a capela mortuária da Paróquia Senhor Bom Jesus, no Centro de Guaramirim, não abrirá mais as portas para velórios dos guaramirenses, a não ser que sejam fiéis da igreja.

Há cerca de uma semana o pároco Ilmo Dick cessou as cerimônias para a população geral, porém, de acordo com a empresa responsável pelos serviços funerários no município, a atitude não causou grande impacto devido à baixa demanda.

A empresa alega ainda que existem outros espaços, nos bairros, nos quais é possível realizar as cerimônias.

Fechamento não teve grande impacto no município, diz empresa responsável pelos serviços funerários de Guaramrim | Foto Eduardo Montecino/OCP News
Fechamento não teve grande impacto no município, diz empresa responsável pelos serviços funerários de Guaramrim | Foto Eduardo Montecino/OCP News

O prefeito Luis Chiodini explica que a empresa era a responsável por pagar o aluguel da capela para a realização dos velórios, enquanto a Prefeitura efetuava o pagamento dos serviços de água e luz. Isso até a decisão do padre Ilmo.

Nova capela no cemitério municipal

Agora, o prefeito explica que o governo municipal firmou uma parceria com a empresa que explora o serviço funerário em Guaramirim para que uma capela mortuária seja construída no cemitério municipal.

Nesta parceria público-privada, a Prefeitura faz a cessão do terreno e a empresa arca com os custos de construção e mão de obra.

“Viabilizamos essa parceria para a construção de uma capela que possa oferecer todo o conforto possível. É um processo simples, rápido, através de doação, então na semana que vem já devemos ter as questões de construção sendo aplicadas”, afirma.

Para o prefeito, uma estrutura central, próxima ou até mesmo no próprio cemitério poupa as famílias de todo o trauma de um cortejo pelas ruas do município. Por isso, como medida emergencial, a construção da capela mortuária no cemitério municipal é a melhor opção.

Chiodini afirma ainda que o projeto para a construção do novo cemitério da cidade já prevê a construção de pelo menos três capelas mortuárias.

A atual estrutura, garante, tem a estimativa de atender a cidade pelos próximos cinco anos. Já o novo cemitério, afirma o prefeito, deve ser concluído em um prazo máximo de três anos.

Quer receber as notícias no WhatsApp?