Caroline (de vermelho) e o filho Heitor reencontram a família | Foto Julio Cavalheiro/Secom
Caroline (de vermelho) e o filho Heitor reencontram a família | Foto Julio Cavalheiro/Secom

Depois de três anos morando no exterior, o casal Cristian Oliveira e Caroline Rocha, e o filho Heitor, de quatro anos, conseguiram voltar para a casa que deixaram em Itajaí. O caminho de volta é encarado como um recomeço.

A família faz parte do grupo de 12 catarinenses que estavam com dificuldades de sair da Nova Zelândia para voltar a Santa Catarina. Com a ajuda do Governo do Estado, no último sábado (27), eles conseguiram retornar.

“A gente estava inseguro e preocupado, quando surgiu a oportunidade de voltar, não pensamos duas vezes”, contou o carpinteiro, que atuava na construção civil. A família queria continuar morando na Nova Zelândia, mas a pandemia mudou os planos, Cristian perdeu o emprego e a situação financeira começou a ficar difícil.

“Agora estamos em casa, vamos avaliar tudo com calma e fazer um novo recomeço. Por enquanto, quero aproveitar a família por perto e saber como eles estão”, disse Caroline. A irmã dela foi quem os recebeu em Itajaí. As lágrimas substituíram os beijos e abraços que, em outros tempos, marcariam o reencontro.

Da Nova Zelândia até Santa Catarina foram pelo menos 35 horas de viagem. Eles vieram em um voo de repatriação que saiu da cidade de Auckland até Santiago, no Chile. Para chegar ao Brasil, pegaram outro voo até Guarulhos, em São Paulo.

O Governo do Estado enviou um micro-ônibus do Corpo de Bombeiros Militar e outros dois veículos de apoio para buscar os catarinenses em São Paulo. No grupo também havia pessoas oriundas de Jaraguá do Sul, Florianópolis, Imbituba, Tubarão, São Joaquim e Caçador. Todos foram conduzidos até suas casas.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Telegram Jaraguá do Sul