Apesar aumento do número de casos nos últimos 14 dias, a Secretaria de Educação de Florianópolis já definiu o protocolo completo para a volta das aulas presenciais. De acordo com os números do governo do estado, há um acréscimo de 1.755 novos registros da doença nos últimos 14 dias na Capital, que está em risco Grave para o contágio da Covid-19.

Para o retorno dos alunos, a Capital deve cair para o risco Alto, segundo a Matriz de Risco da Secretaria de Estado da Saúde. O mapa será atualizado nesta semana. A decisão é válida para escolas da rede pública e privada.

Pelo planejamento, o retorno começará pelos estudantes que não tiveram acesso às atividades presenciais e com dificuldades de aprendizagem, e respeitar o limite de 30% por turma.

Ao todo, a Capital tem 36 escolas municipais e os 80 núcleos de educação infantil de Florianópolis, com cerca de 35 mil alunos.

Confira as regras

Ensino fundamental

  • Priorizar o atendimento presencial dos estudantes do 9º ano nas duas semanas iniciais.
  • Na terceira semana organizar o horário de aulas para os estudantes do 6º, 7º e 8º anos.
  • Na quarta semana os estudantes dos Anos Iniciais. Respeitando, sempre, o sistema de rodízio semanal (no máximo 30% de cada turma por semana/ por sala, respeitando o distanciamento social mínimo de 1,5 m (um metro e meio) entre os estudantes.

Primeiros anos

  • Para os primeiros anos prever um processo de adaptação em relação ao processo de alfabetização.
  • Entender se existem dificuldades que persistem para que não avancem nos estudos com dificuldades e minimizem prejuízos relacionados ao processo de aprendizagem.
  • A avaliação diagnóstica dos primeiros anos deve focar na alfabetização (leitura e escrita) e na matemática.

EJA

Organizar o horário de atendimento aos estudantes da EJA, com retorno gradativo por faixa etária, de modo que os idosos e pessoas do grupo de risco estejam no último grupo a retornar.

Respeitar, sempre, o sistema de rodízio semanal (no máximo 30% de cada turma por semana respeitando o distanciamento social mínimo de 1,5 m (um metro e meio) entre os estudantes.

Educação infantil

  • Na educação infantil sugere-se a volta às atividades de forma escalonada, com início pelas crianças de pré-escola (4, 5 e 6 anos);
  • Só depois às de creche (0 a 3 anos).
  • Priorizar as famílias em vulnerabilidade social.

Aumento dos casos (últimos 14 dias)

  • 13/10 – 14.977
  • 12/10 – 14.940
  • 11/10 – 14.743
  • 10/10 – 14.581
  • 09/10 – 14.437
  • 08/10 – 14.125
  • 07/10 – 14.101
  • 06/10 – 13.969
  • 05/10 – 13.758
  • 04/10 – 13.624
  • 03/10 – 13.478
  • 02/10 – 13.397
  • 01/10 – 13.290
  • 30/09 – 13.222

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp