Nesta terça-feira (20), foram confirmados cinco casos da variante delta do coronavírus em pessoas internadas em Joinville, no Norte catarinense.

A investigação destes pacientes teve início na semana passada, quando seis tripulantes do navio M/V Aristidis, com sintomas da Covid-19, entraram no Brasil pelo Porto de São Francisco do Sul.

A embarcação, de bandeira do Chipre, chegou ao estado em 13 de julho, vindo da Austrália e com saída registrada no mês de maio. Passou por Singapura, Índia, e fez a última parada na Ilha da Reunião, no continente da África, em junho.

Os tripulantes receberam atendimento em um hospital da rede particular de Joinville, e as amostras foram enviadas para sequenciamento genético pela equipe da Secretaria da Saúde de Joinville.

Conforme a Prefeitura, o material de cinco destes pacientes apresentou condições de passar pelo sequenciamento genético, com resultado positivo para a variante delta. A informação foi confirmada pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina.

Durante todo o período de internação, foi praticado o isolamento de coorte, ou seja, estes pacientes não tiveram contato com demais pacientes internados e todos os cuidados de precaução foram considerados por parte dos profissionais da saúde. Os seis pacientes já receberam alta.

Variante delta

Os primeiros casos da variante delta foram identificados na Índia. Estudos científicos comprovaram que a principal característica dessa linhagem do coronavírus é a alta transmissibilidade. Os sintomas são semelhantes às demais variantes, com destaque para a dor de cabeça, dor de garganta, coriza e febre