Texto: Adrieli Evarini e Dyovana Koiwaski

A educação catarinense vive um misto de evolução e preocupação com a nova avaliação do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Divulgado na segunda-feira (3), o resultado reafirma a qualidade da educação básica catarinense no iníciodo ensino fundamental.

Santa Catarina superou a meta traçada em 0,5 pontos para os anos iniciais e, na microrregião, não foi diferente. Os números catarinenses oscilam. Os anos iniciais não só superaram a meta como aumentaram a nota em relação ao resultado de 2015, passando de 6.3 para 6.5.

Já os anos finais acendem o sinal de alerta. Com a meta estipulada em 5.7, Santa Catarina conquistou apenas 5.2.

Os cinco municípios da microrregião do Vale do Itapocu – Jaraguá do Sul, Guaramirim, Massaranduba, Schroeder e Corupá – tiveram índices superiores à média nacional. No país, a média dos anos iniciais do ensino fundamental foi de 5.8 e dos anos finais, 4.7.

Empenho dos professores foi destacado entre secretários da microrregião | Foto: Arquivo OCP News

Ideb na microrregião

No Loteamento Amizade, o melhor Ideb da microrregião

Escola Loteamento Amizade surpreendeu ao participar pela primeira vez do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) no ano passado. Os resultados divulgados nesta semana deram à instituição o maior índice entre as escolas de Jaraguá do Sul e da microrregião.

A média dos alunos do ensino fundamental foi de 8.1, um ponto acima do Ideb para as séries iniciais da municipal.

Os pontos fundamentais para essa conquista, conforme a diretora Edilaini Leitholdt Vieira, foram a dedicação e exigência dos professores em sala de aula, o interesse dos alunos em aprender e o planejamento.

“Comprometimento. Nossos docentes têm um número baixo de faltas ao trabalho e as salas de aula também não são muito numerosas, com uma média de 20 alunos por turma. Isso influencia muito na qualidade do ensino”, declara Edilaini.

Nos outros anos, a escola não tinha participado da avaliação porque não tinha o número de alunos suficientes. A equipe também está trocando de informações constantemente, em uma verdadeira parceria.

“Quando temos alguma dificuldade com um aluno, já chamamos os pais. A comunidade aqui é muito participativa, e isso tem retorno nas atividades”, aponta a diretora.

Agora, o foco são as próximas turmas que realizarão as provas, para manter ou superar os resultados deste ano.

“A responsabilidade ficou maior, mas os alunos ficaram muito felizes e querem fazer parte desse processo de crescimento”, garante Edilaini.

Além das iniciativas de cada professor, a escola é uma das que recebem o projeto de robótica da rede municipal. A meta geral da instituição para 2019 é de 8.2.

-

Secretário de Jaraguá ressalta a importância de um trabalho contínuo 

Que a educação municipal em Jaraguá do Sul é referência para Santa Catarina não é segredo, mas nesta segunda-feira (3), a divulgação das notas do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) 2017 comprovou, mais uma vez, os bons resultados.

O índice, que é medido a cada dois anos, mostra a evolução da educação no município. Em uma década, a nota média nos anos iniciais do ensino fundamental da rede municipal saltou de 5.1 em 2007 para 7.1 em 2017. Nos anos finais, o crescimento foi de um ponto, dos 4.7 aos 5.7 no mesmo período.

Projetos extraclasses e lúdicos são a aposta do secretário para manter crescimento | Foto: Arquivo OCP News

O secretário de Educação Rogério Jung, destaca que os bons índices do município estão sendo construídos ao longo dos anos e prova disso é a evolução nas notas médias.

“Isso é uma construção de alguns longos anos. Desde 2005, o município vem trabalhando com a equipe pedagógica e professores em busca desse resultado”, salienta.

O secretário ressalta ainda que o investimento em educação é direcionado para a qualidade do ensino e a manutenção e até mesmo o aumento dos índices são consequência de um investimento assertivo em capacitação e desenvolvimento de projetos extraclasse.

“É muito difícil manter e aumentar, porque a nossa régua já está lá em cima, por isso cada vez mais é importante investir na capacitação desses profissionais para sempre alcançar esse objetivo”, avalia.

Apesar do bom desempenho nas séries iniciais do ensino fundamental, o foco no próximo ano, garante Jung, serão as turmas de 6º a 9º anos, onde as médias ficaram em 5.7. Embora tenham sido superiores à média nacional, a intenção é melhorar os índices.

“Vamos focar para melhorar essas notas, que não estão ruins, mas sempre queremos subir um degrau nessa escada”, diz.

O foco do município, ressalta Jung, é em uma educação que oportuniza experiências extraclasse com atividades e projetos lúdicos – como o de robótica, citado pelo secretário – capazes de promover senso crítico, capacidade de resolução de problemas e potencializar o trabalho em equipe.

Massaranduba é a que mais cresceu na microrregião

voltou a crescer no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) nas séries iniciais. A rede alcançou a média de 7.1, ficando 0.6 acima do último levantamento. Mas entre 6º ao 9º ano, houve queda de 5.9 para 5.7.

Para o secretário de Educação do município, Cristiano Rodolfo Tironi, a melhora foi resultado de uma metodologia diferenciada aplicada nas salas de aula, que valoriza os professores e busca meios para aumentar o interesse dos alunos.

Tironi acredita que as novas formas de ensinar são fundamentais para atrair o aluno | Foto: Arquivo Rede OCP News

Tironi ainda explica que no ano passado a secretaria implantou um simulado bimestral para acompanhar o desenvolvimento dos estudantes.

“Também apostamos na formação contínua dos professores e gestores, oferecendo meios para que eles possam deixar as aulas mais atrativas”, comenta.

A secretaria já está traçando novos caminhos para investir e manter o crescimento no Ideb. “Um dos focos será melhorar o índice dos anos finais”, aponta Tironi.

Guaramirim aumenta dois pontos em dez anos no ensino fundamental

Guaramirim alcançou a média de 6.6 no Ideb deste ano, crescendo 0.4 pontos de 2015 para 2017. Fazendo uma análise comparativa com 2007, dez anos atrás, o ensino fundamental da cidade aumentou exatos dois pontos. A rede municipal não conta com turmas dos anos finais.

A evolução gradativa, segundo a secretária de Educação, Marja Rebelato, vem de um envolvimento completo da equipe pedagógica com os professores, com visitas periódicas e projetos inovadores desenvolvidos.

“Esse processo gera novas aprendizagens. Por isso, estamos lançando um prêmio para os professores que estão trabalhando nisso”, enfatiza Marja Rebelato.

A melhor escola da rede municipal foi a Urbano Teixeira da Fonseca, no bairro Amizade. Os alunos do ensino fundamental conquistaram a média de 7.2 e passaram a geral de Guaramirim em 0.6 pontos.

De acordo com a secretaria, é importante valorizar que a Urbano Teixeira está crescendo em número de alunos e, mesmo assim, não está perdendo a essência do ensino de qualidade e do trabalho constante.

“Estamos muito felizes com o resultado de todos e já planejando novas práticas que possam ser aplicadas nas escolas para melhorar ainda mais nossa educação”, completa.

Ideb de Schroeder aumenta depois de dois anos estático

Com quatro escolas municipais de ensino fundamental, Schroeder registrou uma média de 6.7 nos anos iniciais e 5.7 nos finais. O secretário de Educação de Schroeder, Harildo Konell, credita o aumento ao esforço e desempenho dos professores, cada vez mais capacitados e empenhados.

“A secretaria vê a importância de capacitar os docentes e deixá-los motivados, principalmente levando em consideração a demanda escolar”, explica Konell.

Ele destaca que as escolas estão realizando múltiplos projetos e, assim, construindo uma identidade.

“Temos uma baixa rotatividade de professores e isso é muito importante, porque permite um trabalho mais embasado e próximo com os alunos”, avalia o secretário.

Schroeder vai apostar no planejamento e estruturas práticas mais fortalecidas para continuar crescendo no Ideb e, consequentemente, formar jovens mais preparados para o futuro. “Não pode parar”, determina Konell.

Corupá trabalha para superar a queda de 0.4

Corupá foi o único município da microrregião que não aumentou o índice do ensino fundamental de 2015 para 2017. De 6.7, o Ideb foi para 6.3 nos anos iniciais.

Nas séries finais a queda foi de 5.9 para 5.5. Mesmo assim, a cidade se mantém acima da média nacional e com disposição para recuperar os números.

Entre 2011 e 2013, a média das turmas iniciais e finais de Corupá também caiu de 6.3 para 6. A secretária de Educação, Rosane Breti, avalia que a média das escolas variam, considerando que algumas conseguiram aumentar a nota do Ideb e outras não. A melhor média em Corupá foi a da escola José Pasqualini, com 7.1.

“A própria rotatividade de alunos e a ausência de alguns no dia da prova pode ter influenciado tal queda. Mas estamos com um bom número de professores efetivos neste ano e trabalhando de perto com os professores para superar essas dificuldades”, afirma Rosane.

 

Nota do ensino médio cresce, mas ainda está longe da meta de 5.2

A nota média do ensino médio catarinense cresceu em relação a 2015, é o que aponta o resultado do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgado na última segunda-feira (3), e que leva em consideração exames realizados em 2017.

Se em 2015, a nota divulgada era de 3.8, o índice conquistado agora teve aumento de 0,3, passando para 4.1. Porém, apesar da evolução, e de estar acima da média nacional, que ficou em 3.8, a nota ainda está longe de atingir a meta traçada que, para a avaliação de 2017, estava estipulada em 5.2.

Corupá e Guaramirim não alcançaram a meta | Foto: Arquivo Rede OCP News

O crescimento desta avaliação ainda não recupera o melhor índice catarinense da década, registrado em 2011, quando o estado atingiu 4.3.

Na microrregião, nenhum município atingiu a meta de 5.2, mas três ficaram acima da média nacional.

---

Como o Ideb é calculado?

  • O Ideb é calculado a partir de dois componentes: a taxa de rendimento escolar (aprovação) e as médias de desempenho nos exames aplicados pelo Inep. Os índices de aprovação são obtidos a partir do Censo Escolar, realizado anualmente.
  • As médias de desempenho utilizadas são as da Prova Brasil, para escolas e municípios, e do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), para os estados e o País, realizados a cada dois anos.
  • As metas estabelecidas pelo Ideb são diferenciadas para cada escola e rede de ensino, com o objetivo único de alcançar 6 pontos até 2022, média correspondente ao sistema educacional dos países desenvolvidos.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?