A chuva que provocou alagamentos em Florianópolis e região desde as primeiras horas desta quinta-feira (24) diminuiu de intensidade, mas de acordo com as informações da prefeitura e dos órgãos de segurança ainda é preciso manter o alerta em função do solo encharcado, que pode provocar deslizamentos em áreas de riscos. Além disto, ainda há regiões na cidade em que ruas estão alagadas, o que exige atenção dos motoristas.

De acordo com a meteorologista Laura Rodrigues, da Epagri/Ciram, choveu cerca de 100mm em seis horas - metade do que é previsto para todo o mês de janeiro.

Deslizamento na Rua Monsenhor Top interditou uma residência | Foto Divulgação

No centro da cidade, uma casa e um kitinet precisaram ser interditadas por conta de deslizamento de terra. Não registro de vítimas nem de outras situações semelhantes em Florianópolis.

No início da tarde, o prefeito Gean Loureiro se reuniu com os órgãos de segurança e anunciou medidas que visam minimizar os problemas acarretados pelos alagamentos. Equipes da Comcap iniciaram trabalhos de desobstrução de um riacho próximo a SC-401 (que liga o Centro ao Norte da Ilha), para dar vazão a água e assim acabar com o alagamento embaixo do viaduto do João Paulo, que dificultou o trânsito no local.

"O trabalho de prevenção que a prefeitura vem fazendo, desobstruindo vários canais de drenagem, pontos de possíveis alagamentos, minimizou os problemas que enfrentamos em Florianópolis. Mesmo assim já há condições de se declarar estado de emergência, mas ainda não tomaremos esta decisão", disse o prefeito Gean Loureiro.

A prefeitura informou ainda o sistema de ônibus segue normalmente, assim como o de coleta de lixo. No entanto, a Comcap pede que os moradores não coloquem o lixo orgânico nas lixeiras externas, pois há risco de que os sacos possam cair na rua e obstruir as bocas-de-lo, provocando novos alagamentos.

Equipes da prefeitura limpam riacho próximo à SC 401 | Foto Divulgação

Tanto a Defesa Civil quanto os Bombeiros seguem em alerta para evitar maiores problemas aos moradores, de acordo com as informações da Prefeitura de Florianópolis

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?