O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Samae) assinou na manhã desta quinta-feira (25), na escola Antônio Estanislau Ayroso, a ordem de serviço para a implantação da rede coletora de esgoto nos bairros Jaraguá 99 e Jaraguá 84.

Com a implantação da rede, o município vai chegar a 90% de esgoto tratado.

Serão investidos cerca de R$ 9,8 milhões para a instalação da rede de tratamento para atender cerca de 10 mil habitantes.

A executora da obra será a Serviços de Terraplenagem e Construção. A empresa terá um prazo de 270 dias para entregar a obra completa. O fim da obra está planejado para novembro.

De acordo com o presidente do Samae de Jaraguá do Sul, Ademir Izidoro serão implantados 23 quilômetros de tubulação.

Izidoro revela ainda que serão construídas cinco elevatórias para levar os efluentes até a estação de tratamento no bairro São Luís, em Jaraguá do Sul.

"Um projeto destes é muito importante para o nosso município. Esperamos que todos sejam beneficiados", pontua.

Ao todo, 34 ruas vão ser abrangidas por este projeto, dentre elas, parte da rua Bertha Weege, que é a principal ligação com a região central do município.

Mais bairros devem ser contemplados com a rede nos próximos anos, garante Izidoro | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Atualmente quatro bairros  ainda não recebem saneamento básico em suas residências.

Entretanto, a expectativa é que até os próximos dois anos as localidades do Três Rios do Sul, Três Rios do Norte, São Luís e Santa Luzia devem ser contemplados pelo projeto, segundo informações repassadas por Izidoro.

Ruas onde será implantada a rede coletora

O Samae realizará ações de comunicação direcionadas à população dos bairros atendidos, com o objetivo de minimizar o impacto da obra. Veja quais ruas serão beneficiadas:

  • Adolfo Birr
  • Adolpho Stenger
  • Alfredo Bierr
  • Almiro José Satler
  • Alvim Butendorff
  • Belém
  • Bertha Weege
  • Betel
  • Bruno Schuster
  • Pioneiro Carlos Horongoso Junior
  • Dom Helder Camara
  • Elsa Trapp Meier
  • Emilio Kanis
  • Emilio Otto Augusto Oldenbur
  • Emilio Ueker
  • Ernestine Glau Krueger
  • Ewaldo Meier
  • Henrique Butze
  • João Mass
  • José Lescowicz
  • Leopoldo Augusto Winkler
  • Marfim
  • Maria Waldrich Vitkowski
  • Oscar Schneider
  • Papa João XXIII
  • Pastor Harold Willians
  • Silvino Leskowicz
  • Umberto Renato Rubini
  • Vidal José Maestri
  • Willhelm Krueger
  • Ellisa Volkmann Maass
  • Irmã Dulce
  • Travessa José Maestri
  • Servidão Oscar Schneider

Realidade dos bairros

Mesmo diante de alguns problemas que o bairro Jaraguá 84 enfrenta referente ao tratamento de esgoto, o presidente da associação de moradores do bairro, Algeu Monteiro, é positivo quanto ao atual cenário.

"É uma grande vantagem nossa. Claro que muito poderia ser melhorado, mas acredito que em relação a outros bairros os moradores tem que dar graças à Deus", explica.

Monteiro se refere ao Jaraguá 99. Segundo ele, a região sofre com problemas por falta de tratamento adequado do esgoto que sai das residências.

Como não existe a rede coletora de esgoto, as casas devem possuir fossa e filtro. Mas nem sempre essa é a realidade.

Morador da rua Emílio Otto Augusto Oldenburg, o aposentado Ilário Kraft conhece bem o problema gerado pela falta de tratamento de esgoto.

"Tem dias que a gente anda na rua e o cheiro é ruim, vem pela boca de lobo", aponta.

Segundo ele, alguns moradores não seguem a legislação e destinam o encanamento direto para a rede de águas pluviais, o que causa o mau cheiro generalizado na rua e em outras regiões do bairro.

Exemplo a ser seguido

Santa Catarina tem apenas 20,9% do esgoto produzido em suas cidades tratado. Jaraguá do Sul foge dos baixos índices estaduais.

Atualmente o município possui 80% de esgoto tratado, colocando a cidade entre os mais altos índices do país e acima das maiores cidades do estado.

Com a implantação nos dois bairros, o município vai chegar a 90%. Segundo Izidoro, desde 2012, 44% da população estava sendo atendida pelo sistema.

A elevação nos índices ocorreu quando a autarquia inaugurou a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) no bairro São Luís, em 2017.

"Acredito que foco e determinação foi importante para chegarmos a este índice. Em seis anos, tivemos um resultado muito satisfatório", comemora.

Comparando com cidades com um número maior de habitantes, Jaraguá do Sul tem um índice positivo.

Uma pesquisa divulgada em 2018 pelo Painel de Saneamento Básico Trata Brasil revelou que Joinville, maior cidade do estado, possui apenas 30% do esgoto tratado. Florianópolis trata 60,5% e Blumenau 38,16%

De acordo com o diretor-geral da Aris (Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento), Adir Faccio, Jaraguá do Sul sempre foi uma das primeiras cidades catarinenses a aparecer com uma maior cobertura da rede de esgoto.

"As autoridades do município ao longo do tempo entenderam essa necessidade de fazer investimentos necessários para acompanhar o crescimento para ampliar as redes", ressalta.

Saneamento na área rural

De acordo com o presidente do Samae, Ademir Izidoro, a autarquia irá instalar nos próximos 15 dias sistemas individuais de fossa e filtro na região do Garibaldi para atender 750 propriedades rurais.

Para a implantação deste projeto estão previstos investimentos de R$ 1,7 milhão.

"Vamos instalar este sistema nesta região e nos entornos porque para levar do São Luís até o Garibaldi em rede é muito caro", explica.

Correção: Na edição impressa desta sexta-feira (26), a reportagem divulgou que seriam cerca de 10 mil famílias atendidas pelo nova sistema da rede de esgoto nos bairros Jaraguá 99 e 84. A informação correta seria 10 mil habitantes.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?