A passagem do ciclone deixou um rastro de destruição em praticamente todas as regiões do estado, com ventos que ultrapassaram os 100km/h.

Árvores, postes e placas caíram sobre a rede elétrica e provocaram problemas graves na distribuição de energia.

Embora a Celesc estivesse preparada para a passagem do ciclone com equipes de sobreaviso, os danos foram muito significativos.

Na noite de ontem (30), cerca de 1,5 milhão de unidades consumidoras (UCs) ficaram sem energia elétrica.

Até às 9h20 desta quarta-feira (1º), cerca de 750 mil UCs continuavam sem energia, número que pode oscilar, pois com o rompimento do cabo de fibra ótica da Oi, o sistema de telecomunicação da empresa foi atingido diretamente, bem como de outras distribuidoras que atendem o Sul do país.

Por isso, não foi possível identificar os locais com defeito na rede de distribuição. A única forma de comunicação dos consumidores é através do aplicativo Celesc.

Neste momento, 300 equipes trabalham para recuperar o sistema, com cerca de 1300 pessoas, mas o trabalho exige retirada de material pesado das redes e a previsão é que seja estendido por alguns dias em determinadas localidades.

A Celesc está trabalhando para recompor 75% a 80% do sistema até o final desta quarta-feira. No interior o tempo de recomposição pode ser de dois a três dias.

A orientação é para que as pessoas fiquem em casa e não se aproximem de locais próximos a rede elétrica para evitar acidentes.

Com informações da assessoria de imprensa da Celesc

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul