Na quinta-feira (10), a Polícia Civil efetuou uma operação de busca e apreensão para apurar um suposto esquema em que agricultores são aliciados para ingressar com ações judiciais de indenização por danos decorrentes de falta de energia elétrica, muitos utilizando laudos fraudulentos.

A operação é uma etapa do processo investigativo iniciado em 2019, a pedido da nova administração da Celesc, e realizou buscas em escritórios de advocacia, residências de técnicos responsáveis pela emissão dos laudos e em propriedades rurais na região de Rio do Sul, Ituporanga, Vidal Ramos e Pouso Redondo.

Em 2019, a Celesc contratou empresa para realizar perícias e contrapor os laudos fraudulentos a partir de procedimento administrativo a fim de minimizar as judicializações.

De acordo com a investigação, só em 2020 os laudos fraudulentos podem ter sido utilizados em cerca de 1.200 processos indenizatórios, causando um prejuízo estimado de R$ 26 milhões à Celesc.

A empresa diz estar empenhada em combater estas ações danosas e contribui com as investigações, que seguem em curso.

De acordo com a Celesc, os laudos fraudulentos iniciaram em 2015 e podem ter sido utilizados em um número ainda maior de processos indenizatórios.

 

Com informações da assessoria de imprensa

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul