Estudantes catarinenses participam nesta semana, de 27 a 29 de maio, do Festival Sesi de Robótica, em São Paulo. São equipes formadas por alunos da Escola S de Blumenau, Brusque, Criciúma, Concórdia, Florianópolis e Lages, além de alunos da rede pública de Rio do Sul. A etapa nacional é classificatória para disputas internacionais.

Outras cinco equipes de SC participam das competições F1 in Schools e First Tech Challenge (FTC), ambas ligadas à FLL.

O evento, aberto ao público e com entrada gratuita, combina competição com oficinas e uma mostra de ciência e tecnologia, em que os alunos exibem seus robôs, réplicas em miniatura de carros de Fórmula 1 e invenções que solucionam problemas da vida real – e são resultado de meses de trabalho em equipe. Os competidores dividem-se em três modalidades:

FIRST LEGO League Challenge (FLL): alunos de 9 a 16 anos formam equipes de 2 a 10 integrantes para construir robôs feitos de peças de LEGO, que devem cumprir uma série de atividades e somar o máximo de pontos em rounds de 2 minutos e meio. O time ainda é responsável por idealizar e criar um projeto de inovação, que é uma solução para um problema real dentro da temática da temporada, que, neste ano, é Logística e Transporte.

De FLL, são 100 equipes formadas por 635 estudantes (298 meninos e 337 meninas), sendo cinco times catarinenses. Ao todo, os robôs disputam mais de 200 rounds.

FIRST Tech Challenge (FTC): nessa modalidade, competem estudantes do ensino médio, que constroem robôs maiores, de até 19kg, partir de um kit de peças reutilizáveis, tecnologia Android e uma variedade de níveis de programação baseada em CAD, Java e Blocks. Os competidores desenvolvem um caderno de engenharia para detalhar o funcionamento dos robôs, que devem cumprir atividades, como carregar blocos em uma arena.

Serão 45 equipes, com 424 alunos (249 meninos e 175 meninas), que disputam cerca de 70 partidas de arena. De Santa Catarina, participam estudantes de Concórdia (Agrotech), Criciúma (Carvoeiros Robotech) e Brusque (Tecnotech).

F1 in Schools: o projeto educacional da Fórmula 1 instiga os estudantes a montarem escuderias, com três a seis integrantes. As equipes constroem um carro em miniatura, réplica dos carros oficiais de corrida, que, impulsionados por um cilindro de CO2, podem chegar a 80 km/h em uma pista de 24 metros de comprimento.

Participam desta edição 41 equipes, com 233 integrantes (111 meninos e 122 meninas), cujos carros vão largar em mais de 50 corridas. São catarinenses as equipes Alpha e Spark, ambas da Escola S de Criciúma, e Curie Team, da Escola S de Florianópolis. A equipe Spark já foi duas vezes campeã nacional da categoria. Junto com a equipe Alpha, eles participarão em julho da World Finals, que ocorre no circuito de Silverstone, na Inglaterra.