Basta passear pela cidade para lembrar de uma história contada pelos pais ou avós e até mesmo olhar para edificações que sediaram acontecimentos importantes na trajetória do município. A cada esquina de Jaraguá do Sul é possível recordar fatos significativos vividos por personagens anônimos ou ilustres, mas que traçam o caminho até os dias atuais. Afim de manter esse patrimônio cultural vivo, em 2009 foi elaborado o projeto “Memória e Identidade de Jaraguá do Sul - Patrimônio Arquitetônico nos Caminhos Históricos”. Hoje, ele é uma das principais garantias da existência dessas edificações e uma forma de preservar o trajeto por onde passaram os desbravadores da cidade. Criado pela equipe do setor de Patrimônio Histórico da Prefeitura, o projeto já teve modificações e desdobramentos para abranger outras áreas do município, mas o cerne segue o mesmo: garantir que as próximas gerações tenham contato, visual e histórico, através de um mapeamento das edificações e caminhos que deram origem à cidade. De acordo com a chefe interina do setor, Rosângela Melatti, o levantamento considerou os três níveis de preservação e foi dividido em três eixos: o primeiro que representa o antigo caminho entre Joinville e Blumenau; o segundo que se estende a partir do primeiro em direção ao norte do município e que também constituiu o caminho para Corupá; e o terceiro que se estende ao longo da linha férrea no centro da cidade. “São os caminhos de quando começou a colonização da cidade, onde foram construídas as casas dos primeiros desbravadores húngaros, alemães e italianos”, conta.   Rosângela explica que foram mapeadas mais de 15 ruas, além de transversais e caminhos para área rural, somando mais de 75 imóveis. “O levantamento não levou em consideração apenas as estruturas edificadas, ou seja, sua arquitetura, mas todo o contexto em que ela está inserida, como a história e o entorno”, enfatiza. Além disso, atualmente o projeto está ganhando sequência com o mapeamento de outros bairros como Nereu Ramos. Algumas das edificações já são tombadas como patrimônio histórico do município, outras – por estarem no caminho histórico – são de interesse de preservação, os chamados imóveis cientificados (quando os proprietários estão cientes do interesse do setor municipal de preservá-lo e do valor histórico para o município). O mapeamento faz com que importantes construções como a Estação Ferroviária, tanto o prédio de administração quanto o depósito, sejam preservados. Hoje o local abriga parte da secretaria de Cultura e a Biblioteca Municipal. Na área, entram também casas do centro e bairros que fazem ligação como Czerniewicz e Vila Lalau. pagina-511