Nesta quinta-feira, 2 de julho, dia que marca seu aniversário de 49 anos, a Casan abriu os envelopes de preços para execução da ampliação e modernização da Estação de Tratamento de Esgotos Insular, em Florianópolis. É mais um avanço para a maior obra de saneamento de Santa Catarina.

O menor valor apresentado pelas construtoras concorrentes, de R$ 145.509.368,55 vai agora à análise técnica e posteriormente será enviada para parecer da JICA, a Agência de Cooperação Internacional do Japão que financia os recursos.

“É uma grande satisfação que nesta data tão importante para a Companhia possamos dar esse passo para elevar a cobertura de coleta e tratamento de esgotos em Florianópolis”, destaca o Diretor de Operação e Expansão da CASAN, Fábio Krieger.

A licitação teve de ser relançada em 2019, pois o consórcio vencedor do processo licitatório anterior se recusou a executar a obra nos moldes previstos no Termo de Referência, forçando a rescisão do contrato e atraso do empreendimento.

 

Investimento de quase R$ 500 milhões

A obra da ETE Insular integra o Plano de Investimento de quase R$ 500 milhões para esgotamento sanitário em Florianópolis. A duplicação da estação e a implantação de novas redes de coleta permitirão atingir 74% de cobertura em coleta de tratamento de esgotos até 2024.

Localizada na entrada da Ilha de Santa Catarina, a ETE Insular passará a realizar o tratamento de até 612 litros de esgoto por segundo, beneficiando 12 bairros. O total de moradores atendidos passará de 150 mil para 225 mil, o equivalente a mais de um terço da Capital.

Cinco bairros − Centro, Trindade, Agronômica, Saco dos Limões e Costeira − serão beneficiados com a ampliação e, especialmente, com a modernização dos processos de tratamento.

Itacorubi, Parque São Jorge, Jardim Anchieta, Córrego Grande e Pantanal, que já têm rede assentada, também serão beneficiados. Essa região da cidade aguarda a ampliação da ETE para iniciar a coleta e tratamento. Também serão implantados mais 12 quilômetros de rede de coleta nos bairros José Mendes e Morro da Lagoa, com 3.753 novas ligações.

A ETE Insular passará a operar em Sistema Terciário, considerado o mais completo, pois além de remover matéria orgânica do esgoto retém nitrogênio e fósforo.

Saiba mais:

  • Prazo de execução de obras: 42 meses
  • População beneficiada: 225.000 hab.

 

Resumo Sucinto das Obras

  • Ligações domiciliares – 3.753 un.;
  • Rede coletora – 12.209 m;
  • Estações Elevatórias de Esgoto – 6 un.;
  • Emissários – 9.512 m;
  • Estação de Tratamento de Esgoto INSULAR – ampliar vazão de 296 L/s para 612 L/s;

 

Observações

  • Receberão rede coletora os bairros José Mendes e Morro da Lagoa (1.004 ligações).
  • Serão atendidos também os bairros Itacorubi, Parque São Jorge, Jardim Anchieta, Córrego Grande e Pantanal, onde a rede coletora (52km) encontra-se assentada desde 2.014, aguardando solução do destino final.
  • A ETE Insular será ampliada e modernizada, com adoção de tratamento terciário completo, com remoção de nutrientes (nitrogênio e fósforo).
  • Cobertura com coleta e tratamento de esgoto após final das obras => 72%

 

 

* Com informações da Assessoria de Comunicação da CASAN

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp