A Casan abriu na manhã desta terça-feira, 8, as propostas da licitação realizada para execução da ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário Florianópolis Insular, que prevê a cobertura com coleta e tratamento de esgoto para 72% da população da área atendida pelo Sistema. A obra está orçada em R$ 107 milhões e tem recursos garantidos da Jica, Agência Japonesa de Cooperação Internacional. Sete empresas apresentaram propostas, que agora serão analisadas pela comissão de licitação da Casan. Escolhida a vencedora, a previsão é de que em 30 dias a empresa possa assinar a Ordem de Serviço da obra, dando início aos trabalhos. A Estação de Tratamento do Sistema, na cabeceira da ponte Pedro Ivo Campos, será ampliada dos atuais 296 litros por segundo para uma vazão de 612 l/s. Além disso a ETE será modernizada, com a adoção de sistema de tratamento terciário, que prevê a remoção de nutrientes (nitrogênio e fósforo), melhorando substancialmente a qualidade do efluente final. A obra vai beneficiar diretamente uma população de 225 mil habitantes, e vai incluir os bairros Itacorubi, Parque São Jorge, Jardim Anchieta, Córrego Grande e Pantanal, onde há rede coletora assentada desde 2012. A obra prevê ainda o assentamento de 12.209 metros de rede coletora para atender os bairros José Mendes e o Morro da Lagoa, com 1.004 ligações, também integrados ao Sistema Insular. Também serão assentados 9 mil de emissários terrestres, construídas seis estações elevatórias, e executadas  3.753 novas ligações domiciliares. O prazo de execução da obra é de 42 meses.