A Caminhada pelo Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, lembrado em 21 de setembro, foi realizada nesta sexta-feira, em Joinville. De acordo com o coordenador de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência da Secretaria de Assistência Social, Paulo Suldovski, o objetivo foi chamar a atenção da comunidade para a acessibilidade e para a inclusão das pessoas com deficiência.

“A deficiência está nas barreiras: em um prédio sem acessibilidade; na comunicação, quando não conseguimos falar em libras com uma pessoa que não ouve; ou quando não conseguimos oferecer leitura acessível para uma pessoa cega. A deficiência está naquele equipamento sem leitor de telas”, exemplifica.

O evento teve a participação da Secretaria de Educação, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) Joinville, Associação dos Deficientes Físicos de Joinville  (Adej), Associação Joinvilense para Integração dos Deficientes Visuais (Ajidev), Associação de Amigos do Autista (AMA), além da presença das equipes e usuários do Serviço Especializado em Reabilitação Joinville, do Núcleo de Assistência Integral ao Paciente Especial (Naipe), dos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e do Centrinho. Participaram ainda alunos da Faculdade Guilherme Guimbala, clínicas de fisioterapia e o Grupo Afoxé Omilodê.

Segundo dados do último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase 24% da população brasileira, cerca de 45 milhões de pessoas, possuem algum tipo de deficiência.

O secretário de Assistência Social, Vagner Ferreira de Oliveira, diz que “temos muito a evoluir”. Segundo ele, bons passos já foram dados em parceria com o Comde (Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência).

“Estamos fazendo uma força-tarefa e conversando com as empresas para oferecer cotas de atendimento às pessoas com deficiência. Hoje o Centro Público de Atendimento ao Trabalhador (Cepat) oferece várias oportunidades de emprego e estamos ajudando a inserir as pessoas com deficiência no mercado de trabalho, dando a elas dignidade e garantia de acesso aos seus direitos”, afirma.

A importância da união de forças entre as entidades para promoção da inclusão também é destacada pelo presidente do Comde, Nelson Farias. Para ele, a Caminhada alusiva ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência desperta a sociedade para a questão da igualdade de direitos. "Estou muito feliz pela participação de tantas entidades neste evento. Buscamos parcerias e o resultado desse trabalho está sendo demonstrado no evento de hoje”.

Veja as fotos do evento:

Acessibilidade, inclusão e qualidade de vida

Acompanhada pelos pais Sonia Kaiser e Francisco Melo, a adolescente Vitória de Melo, de 13 anos, participou da caminhada. Ela é paciente do Serviço Especializado em Reabilitação em Joinville e, de acordo com os pais, os atendimentos que recebe nas áreas de psicologia, fisioterapia e terapia ocupacional são fundamentais para sua evolução.

De acordo com o pai de Vitória, já aconteceram avanços, no entanto as pessoas com  deficiência continuam encontrando dificuldades para realizar atividades cotidianas e, além disso, enfrentam o preconceito da sociedade.

“Como ela é uma criança especial, muitas vezes não pode participar de uma brincadeira e acaba excluída. Mesmo assim explicamos que tem várias outras coisas que ela consegue fazer. Por isso as terapias são importantes porque ajudam a evoluir e dar um pouco de independência. Agora moramos perto da escola e a rua está sendo calçada. Isso também vai facilitar”, comenta Melo.

Quer receber as notícias no WhatsApp?