Caiu pela metade o número de mortes por Covid-19 neste mês, em relação ao mesmo período do mês passado, em Criciúma.

Ainda não há motivo para comemorar, aliás, os 15 primeiros dias de julho registraram 19 mortes por complicações causadas pelo coronavírus, mas a queda traz um alento em meio à pandemia.

No mês passado, por exemplo, foram 40 óbitos por Covid-19 na cidade, pouco mais que o dobro. Aliás, junho encerrou com sendo o mês mais mortal do coronavírus em Criciúma, com 91 mortes.

Abril, que liderava a estatística mórbida da pandemia até então, teve 80 mortes.

Maio encerrou com o registro de 65 óbitos no mês na cidade. Antes de abril, o número mais alto havia sido em dezembro do ano passado, quando foram contabilizadas 75 mortes.

Criciúma soma hoje 610 vidas ceifadas por conta da pandemia.