Uma boneca chamada MariBela, em tempos de Covid-19, conseguiu aproximar-se de crianças e familiares do Núcleo de Educação Infantil Municipal Costa de Dentro, em Florianópolis. O processo educativo, mesmo à distância, foi fortalecido e ajudou pais ou responsáveis a encarar 2021, que levou as crianças para o primeiro ano do ensino fundamental.

O projeto envolvendo essa personagem foi um dos vencedores do Prêmio Educação Infantil: Boas Práticas de Professores Durante a Pandemia. Iniciativa da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, Fundação Itaú Social, Instituto Singularidades e Ponte a Ponte.

 

A ideia foi da professora Raquel Silveira de Almeida, com o apoio da profissional alfabetizadora Annabel Cristini Feijó Peres | Foto Divulgação/PMF

 

A ideia foi da professora Raquel Silveira de Almeida, com o apoio da profissional alfabetizadora Annabel Cristini Feijó Peres. A boneca de pano participou de histórias, aventuras, autorretratos, desenhos, músicas, vídeos, poesia. Visitou as casas das professoras.

Eventos online

De acordo com a professora Raquel Silveira, MariBela também participou dos eventos online das turmas com crianças e famílias.

“A MariBela explicava sobre os momentos que vivíamos, curtindo as brincadeiras, dando dicas quanto à segurança para o retorno das atividades em 2021 e, principalmente, já se comprometendo em participar ativamente tanto dos grupos da educação infantil, quanto do primeiro ano do ensino fundamental, uma vez que não poderia deixar de visitar as crianças que iriam começar a frequentar essa etapa”.

O nome todo da personagem é Maria Ricota Belinha Saricota de Dentro. Tem olhos curiosos e é descabelada. Sua maior habilidade é fabricar sorrisos.

MariBela esteve nos lares das professora | Foto Divulgação/PMF

Doação

A boneca foi uma doação de uma das crianças do Neim Costa de Dentro. A família que doou a boneca, em 10 de setembro de 2020, já não mora mais no município de Florianópolis, mas está acompanhando de pertinho toda a trajetória de MariBela.

Foram premiadas 100 boas práticas no país, com o valor de R$ 1.000,00 e uma bolsa de curso no Instituto Singularidades, voltado para formação de professores, gestores e especialistas em educação.

Santa Catarina ficou em segundo lugar com o maior número de projetos inscritos, ficando atrás apenas de São Paulo. Nos premiados, também o estado catarinense manteve esse excelente ranking e abocanhou 13 propostas. Teve à sua frente novamente o estado paulista com 34 projetos vencedores.