Nesta semana há uma preocupação por conta da queda das temperaturas no estado, por isso, a Coordenadoria de Busca, Resgate e Salvamento com Cães do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBM-SC) indica alguns cuidados que a população deve ter com os animais.

Foto: Divulgação/CBM-SC.

A soldado Andreza Moraes, que atua na cinotecnia (atividade com cães) e possui formação em medicina veterinária, aponta algumas dicas para manter a saúde dos animais.

“Assim como para nós, humanos, o frio é desconfortável, para os animais também é, então o cuidado que temos conosco, devem ser observados aos cães, mas há uma diferença: a temperatura corporal dos animais é diferente da nossa. Enquanto para os humanos o ideal é em torno dos 36,5 graus, os cães e gatos registram em média 38 e 39 graus”, explicou Moraes.

Cuidados com pets

Cães também sentem frio, também ficam gripados e precisam de cuidados especiais para que passem pelos dias mais frios sem complicações. E esses cuidados vão além de colocar uma roupa no animal.

Foto: Divulgação/CBM-SC.

“Sobre as roupas, é preciso conhecer o seu cão. Há alguns que não gostam de usá-las e a individualidade do animal deve ser respeitada”, alerta Andreza.

  • Nesta época a indicação é que seja reduzida a frequência de banhos, que sempre devem ser dados com água morna e após o animal deve ter a pelagem bem seca.
  • Pode ser utilizado um secador de cabelos, porém sempre com uma distância de pelo menos 10 centímetros, para não queimar o cão e alternando as áreas em que o aparelho é passado.
  • O ideal é que os banhos sejam dados em horários em que as temperaturas são mais amenas.
  • Outra recomendação é que os cães não sejam tosados nesta época, já que os pelos auxiliam no aquecimento.
  • É preciso cuidar em relação ao choque térmico, adaptando o animal tanto para sair de locais aquecidos para o frio, quanto do frio para o aquecimento. Ao deixar o animal no sol, seguir os cuidados do verão, deixando a exposição naqueles horários que não são tão quentes – porém o sol é muito importante para o animal. Nas regiões com gelo, deve-se ter cuidado, porque o frio pode queimar as patas.

A rotina de consultas com o veterinário de confiança é extremamente importante e não devem ser negligenciadas.

Outros cuidados

  • Mantenha a atividade física do animal, porque esquenta e garante a qualidade de vida.
  • Não deixe o cão ao relento a noite.
  • O frio pode gerar dores articulares com a idade, tenha cuidado principalmente com os mais idosos.
  • A alimentação é muito importante – use ração super premium ou alimentação natural, desde que desenvolvida por nutricionista veterinário, que garante a quantidade ideal de nutrientes.
  • Mantenha os locais ventilados para evitar a propagação do vírus da gripe canina e demais doenças de inverno.

Sinais de frio

Fique atento a estes sinais, para evitar uma hipotermia.

Foto: Divulgação/CBM-SC.

  • Postura encolhida
  • Tremuras
  • Agitação para retornar para a casa em passeios ou gemidos
  • Apatia – o animal fica sonolento e sem energia.

*Com informações de CBM-SC