Os testes de corante usados na fiscalização da Blitz Se Liga Na Rede, na manhã desta quarta-feira (28) coloriu um caminho de esgoto que escorria pela Servidão Antônio Cordeiro até encontrar a Estrada Haroldo Soares Glavan, nas proximidades do trevo do Cacupé, na SC-401. Na região, que não possui rede coletora em operação, a Prefeitura Municipal de Florianópolis e Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) identificaram quatro imóveis que estavam lançando efluentes a céu aberto, causando grave risco à saúde pública.

Outros três lotes foram vistoriados, mas um apresentou irregularidade relacionada a caixa de gordura e outros dois estavam regulares, com tratamento individual de esgoto.

"Foi uma das piores situações que encontramos em sete semanas de fiscalizações, condicionada pela falta de rede de esgoto e certa desinformação. As pessoas precisam entender que água de pia e lavanderia também é esgoto e devem ser conectados na rede ou na fossa", comentou o engenheiro sanitarista da Echoa Engenharia, Igor Puff Floriano, que coordena a força-tarefa que é integrada por fiscais da Vigilância em Saúde, Floram, equipes técnicas do Programa Floripa Se Liga Na Rede e Casan.

Situadas em área em declive, duas residências da Servidão Antônio Cordeiro, que já haviam sido fiscalizadas anteriormente, mantinham a prática de lançar esgoto pelos fundos do imóvel no solo ou em uma tubulação exposta que tem o final extravasando na parte mais baixa da rua, a céu aberto. Foi constatado que nas duas casas, pia da cozinha, tanque, máquina de lavar, lavatório do banheiro e chuveiro estavam conectados no cano.

Casa que já havia sido vistoriada anteriormente seguia irregular | Foto Marcone de Souza Tavella/Divulgação

No entanto, uma delas tinha ainda a saída do vaso sanitário lançando no chão, nos fundos do terreno. Os responsáveis pelos imóveis foram autuados pela Vigilância e pela Floram e se não fizerem as adequações solicitadas no prazo estipulado, estão passíveis de multa que pode ultrapassar os R$ 5.000,00.

Em outra casa em que o proprietário também foi autuado para se adequar, na margem oposta da mesma servidão, o esgoto estava sendo lançado na calçada da frente, próximo ao acesso da própria casa. Situação parecida foi encontrada em uma quarta residência, localizada no alto de um caminho que parte da Estrada Haroldo Soares Glavan.

Imóvel lança o esgoto na frente do acesso da própria garagem n| Foto Marcone de Souza Tavella/Divulgação

Para dar maior celeridade na resolução dos problemas encontrados, os fiscais solicitaram à Secretaria de Infraestrutura, por meio da Diretoria de Obras, o lacre das tubulações e a limpeza dos terrenos do entorno.

Em sete semanas, a Blitz Se Liga Na Rede fiscalizou imóveis na Av. Beira-Mar Norte, Ingleses, Cachoeira do Bom Jesus, Campeche, Joaquina, Ponta das Canas, Canajurê e Cacupé. Foram alvos da ação 73 imóveis, incluindo shopping, pousadas, hotéis, restaurantes, condomínios e residências.

Somente em 14 situações o local estava adequado segundo normas técnicas e leis sanitária e/ou ambiental no ato da fiscalização. Os demais tiveram processo administrativo aberto na Vigilância Sanitária em Saúde e/ou Floram.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?