Um homem decidiu fazer uma rifa do seu Fusca 1976 em Blumenau, no Vale do Itajaí, para pagar as mensalidades atrasadas da faculdade da neta. Walter Lautenschlager, 69 anos, quer se desfazer do seu carro para que a sua neta Pietra Bianca, de 19, possa continuar cursando medicina em uma universidade particular da região. Ele já conseguiu vender 200 dos mil números da rifa.

Walter e Pietra criaram um perfil nas redes sociais para acelerarem as vendas e mostrar o veículo aos participantes.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal.

"Somos muito ligados. Moro com ele desde que nasci e ele é como um pai para mim. Quando ele decidiu vender o carro por mim, percebi que o que ele mais queria era que eu realizasse meu sonho, se tornou o sonho dele também. Sou muito grata por isso, por esse apoio e essa oportunidade", conta Pietra, que quer ser médica.

O avô iniciou tudo em julho e o sorteio será realizado pela Loteria Federal. Walter, que é aposentado, comprou o Fusca há dois anos e reformou completamente o veículo.

"Inicialmente, a ideia era apenas vender o Fusca para poder quitar as mensalidades atrasadas, mas minha mãe conversando com um amigo de trabalho veio com a ideia da rifa, então decidimos fazer", diz Pietra.

A jovem iniciou o curso de medicina neste ano e já atrasou quatro mensalidades por falta de dinheiro. O valor total da dívida é de aproximadamente R$ 28 mil e pelo fato do curso ser integral, Pietra não pode trabalhar para ajudar a pagar.

De acordo com a estudante, a universidade ofereceu um desconto de 25% das parcelas a partir de agora. Essa porcentagem já deve abater uma parte da dívida.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal.

Assim que a rifa for sorteada, a aluna espera conseguir pagar a dívida com a instituição e também quer obter recursos para conseguir continuar cursando a faculdade, como uma bolsa de estudos ou financiamento acadêmico.

"Querendo ou não, se apegou a ele [ao carro], mas não hesitou em vendê-lo por mim. Minha maior vontade é poder compensá-lo no futuro, proporcionando a ele e minha família uma vida boa e sem tantas preocupações como agora. Quero realizar os sonhos dele, assim como ele está realizando o meu", afirma.

Medicina

Pietra mora com a mãe, que é professora da rede pública municipal, e os avós. Ela conta que o seu sonho de ser médica não é recente.

"Desde que me entendo por gente, sempre quis ser médica. Quando eu tinha 4 anos assisti a uma novela que tinha uma pediatra e eu achei aquela profissão muito legal. Mesmo crescendo nunca tirei a ideia da cabeça, ainda mais conhecendo mais sobre a área. Quero muito ajudar as pessoas", destaca Pietra.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal.

Em 2019 quando concluiu o ensino médio, Pietra foi aprovada na universidade que está agora. Mas precisou desistir do sonho pela falta de dinheiro. Somente então, neste ano os familiares conseguiu dinheiro para pagar a matrícula, mas as quatro prestações ja venceram.

"Desistir com certeza não está nos planos", conclui Pietra.