O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, conheceu o projeto do respirador mecânico que está sendo produzido na Satc.

Acompanhado do secretário de Saúde, Acélio Casagrande, Salvaro conversou com os professores e acadêmicos que estão trabalhando no projeto.

Em fase de testes e ajustes finais, o equipamento será encaminhado para avaliação definitiva com a equipe médica do Hospital São José, em breve.

“Tenho certeza que irá funcionar e, mais uma vez, a Satc vai contribuir para a história da nossa cidade, produzindo um aparelho que vai ajudar a salvar vidas”, ressaltou o prefeito.

Desde o dia 23 de março, a equipe dos cursos de Engenharia Mecânica e Engenharia Mecatrônica trabalha para criar o equipamento, desenvolvido desde a parte de projeto, corte de peças e montagem.

O respirador mecânico utiliza o ambu, também chamado de reanimador manual.

A diferença é que ele passa a ser controlado eletronicamente no equipamento da Satc, gerenciando a entrada e saída de ar para o paciente.

O protótipo desenvolvido pela Satc ficará aberto para empresas que queiram produzir.

“Nossa intenção é deixar o projeto aberto, encontrando parceiros que tenham condições de produzir em uma escala maior”, afirmou o diretor geral da Satc, Carlos Antônio Ferreira.

A proposta envolve um equipamento confiável, robusto, mas de fácil aplicabilidade.

“Esses foram pontos que procuramos preservar. Por isso a estrutura em acrílico, com peças produzidas aqui e outras já prontas no mercado. Isso vai permitir que o equipamento chegue aos hospitais da região e atenda as pessoas”, destacou o coordenador de Engenharia Mecânica, Luiz Carlos Cavaler.

A estimativa inicial de custos do respirador, sem contar a mão de obra, é de aproximadamente R$ 2,5 mil.