A rede municipal de saúde conta com 25 unidades distribuídas pela cidade, oferecendo consultas médicas odontológicas, de enfermagem, dispensário de medicamentos e vacinas.

As unidades trabalham com sistema de agendamento que deveria facilitar o atendimento, mas o problema é que muitos pacientes agendam e não comparecem.

Fischer informa que das 105.787 pessoas que realizaram o agendamento de janeiro até o dia 17 de setembro, 18.192 faltaram, sendo 17% das consultas agendadas.

"Isso prejudica o funcionários da unidade de saúde, os pacientes que não puderam agendar um horário e o próprio faltante que terá que marcar um novo horário", destaca.

A situação fica ainda mais crítica ao ser analisado o prejuízo financeiro em repasse de verbas causadas pelas ausências. Segundo Fischer, os gastos chegam a R$ 450 mil nesse período.

"O dinheiro perdido pelas faltas seria suficiente para construir um novo posto de saúde", relata.

Sílvia frisa que as atendentes das unidades de saúde ligam para todos os pacientes lembrando da consulta, e ligam novamente para saber o motivo da falta.

"As pessoas mentem dizendo que ligamos encima da hora e quando vamos ver no sistema, a ligação foi feita uma semana antes da consulta", ressalta.

Fischer e Silvia pedem que se a pessoa não puder comparecer na consulta, pelo menos ligue avisando, pois muitas pessoas poderiam ocuparam o horário vago.

Quer receber as notícias no WhatsApp?