Acontece nesta quarta-feira (18), na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul, a audiência pública que irá debater ações voltadas à proteção dos animais na cidade. O objetivo da discussão, que tem início marcado para as 19h, é colher sugestões e pensar em ações que ajudem a evitar o abandono, a garantir a saúde e o bem-estar dos animais e a responsabilizar quem descumprir com as responsabilidades vinculadas aos cuidados dos bichos. A audiência é a aberta a toda a população e irá contar ainda com a presença de entidades de proteção aos animais e representantes do poder público. De acordo com a vereadora Natália Petry, responsável pela audiência, a solicitação partiu dos próprios grupos de proteção animal e de protetores individuais. “Queremos propor algumas emendas, como por exemplo, a castração em massa dos animais da cidade, a chipagem para registro, a possível criação de um fundo de proteção e amparo ao animal e até mesmo a criação de um conselho de proteção”, indica a vereadora. Segundo Natália, o município avançou muito neste quesito nos últimos anos, mas agora é preciso aprimorar estas determinações a fim de garantir a evolução e a continuidade destas ações. “É uma questão de consciência, o cidadão que possui um animal tem a obrigação de protegê-lo. Com um registro, por exemplo, conseguiríamos ter mais controle destes cuidados e penalizar quem pratica o abandono. Além disso, temos que pensar que se trata também de uma questão de saúde pública, uma vez que cães assustados podem morder pessoas ou passar doenças”, diz ela. Atualmente, a Diretoria de Vigilância em Saúde de Jaraguá do Sul atua em dois programas para proteção dos animais. O primeiro deles, criado em 2011, é o Programa de Atendimento Emergencial de Cães e Gatos, que recolhe animais abandonados, que realiza a castração e chipagem, para então encaminhar os bichinhos para a adoção. Conforme a fiscal do setor de zoonoses, Leila de Souza Santiago, no ano passado foram feitos em média 20 atendimentos a animais abandonados por mês na cidade, o que representa quase 250 no ano. “É um número bem representativo”, afirma ela. A segundo ação da diretoria teve início no final de abril deste ano e oferece castrações gratuitas para animais de famílias de baixa renda. “Estamos quase completando um mês do projeto e acredito que iremos alcançar o número previsto de 40 castrações por mês. Ainda assim, a demanda está menor do que o esperado”, detalha Leila. Segundo ela, é fundamental pensar em maneiras de garantir que as pessoas se responsabilizem pelo bem estar de seus animais. “O município não tem condições de manter estes animais, então mesmo que nós os ajudemos com os cuidados básicos, se eles não são adotados acabam voltando para as ruas. Não temos casos de raiva no município, então se trata mesmo é de responsabilidade”, acredita. Depois da audiência, as propostas serão encaminhadas para o poder público para análise ou, se for necessária a elaboração de alguma lei, para a Câmara de Vereadores. Conforme Natália, a expectativa é que a população participe ativamente e traga sugestões para ampliar o debate. Serviço O quê: Audiência Pública para discutir a situação de cães e gatos abandonados e possíveis encaminhamentos. Quando: 18 de maio, às 19h. Onde: Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul. Mais informações: www.jaraguadosul.sc.leg.br.