Está marcada para o 16 de fevereiro, às 19h, na Câmara de Vereadores de Corupá, a audiência pública que discutirá a proposta da administração municipal para a concessão dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário. O investimento necessário para o setor é orçado em R$ 53 milhões nos próximos 30 anos, segundo a Prefeitura. Hoje os serviços de tratamento de água são prestados pela Águas de Corupá, criada em dezembro de 2011, que abastece cerca de 80% da população. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população é de cerca de 15 mil habitantes na cidade. O prefeito de Luiz Carlos Tamanini lembra que o Plano de Saneamento de Corupá, aprovado em 2010, foi elaborado com a perspectiva de captação de recursos a fundo perdido, ou no longo prazo, junto ao BNDES, Caixa Econômica Federal, Ministério das Cidades, ou Funasa. Sem conseguir financiamento ao projeto, foi buscada a revisão do documento, por meio da BSA (Bureau de Soluções Ambientais), de Joinville, entregue em dezembro de 2015. Tamanini esclarece que a Águas de Corupá seria fiscalizadora da concessão, juntamente com a Agência Intermunicipal Reguladora de Saneamento, Ministério Público e comunidade. “A audiência pública é o início da licitação da concessão. Não temos recursos e precisamos buscar a solução”, complementa. Atualmente, o município não trata o esgoto produzido pela população. Segundo o engenheiro sanitarista e consultor da BSA César Arenhart, a empresa produziu o estudo de viabilidade para o serviço de água e esgoto com nível tarifário semelhante ao praticado nos dias de hoje. A minuta do edital para a concessão deve estar disponível no portal www.corupa.sc.gov.br a partir do dia 1º de fevereiro.