Um levantamento realizado pela Celesc mostra que em média 30% dos casos de interrupção da na distribuição de energia elétrica em Santa Catarina são provocados por árvores, galhos e cascas lançados pelos ventos sobre a fiação. Na região de Jaraguá do Sul, o número é ainda mais representativo e chega a até 80% dos casos, afirma o gerente regional da Celesc, Luiz Melro Neto. Segundo ele, Corupá é a cidade com maior registro de danos causados pela vegetação, e normalmente o problema é mais frequente em localidades do interior. A Celesc estima que 38 mil árvores estejam plantadas em áreas que ameaçam as linhas de transmissão no Estado. Pensando nisso, a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Assembléia Legislativa aprovou, em dezembro do ano passado, o Projeto de Lei 71/2015, que estabelece os limites de plantio nas proximidades da rede elétrica no Estado. Pela proposta, a distância mínima para o plantio de árvores exóticas ou de grande porte junto à rede de distribuição é de 20 metros. “Aqui, até agora, a determinação era de 15 metros de distância. É claro que existem vegetações que não causam problemas, mas com espécies como o eucalipto ou pinus, por exemplo, já é mais complicado”, explica Melro. Para o gerente regional, o aumento de cinco metros deve ajudar, mas ainda não é o ideal para garantir a eficiência do sistema. “Temos trabalhado com a Fatma [Fundação do Meio Ambiente do Estado] e algumas prefeituras a fim de conseguir junto à Câmara a liberação de corte de até 30 metros em algumas localidades”, detalha ele. Os cuidados com a vegetação é feito de maneira conjunta entre a Prefeitura e a Celesc. O município é responsável pelos cuidados com árvores ornamentais, calçadas, jardins e avenidas, além daquelas tombadas pelo patrimônio público. A Celesc realiza a poda em locais em que a vegetação pode oferecer riscos ao fornecimento de energia. Conforme a assessoria de imprensa da fornecedora, somente em 2015 foram investidos R$ 12 milhões nesse tipo de serviço em todo o Estado. No caso de propriedades particulares, a manutenção da vegetação é de responsabilidade do proprietário, destaca o presidente da Fujama (Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente), Leocádio Neves e Silva. “Nesses casos, o morador pode fazer um pedido especial de avaliação à Fujama, que irá estudar a situação e determinar o melhor procedimento de acordo com a espécie da árvore”, comenta. Em caso de dúvidas, a Celesc também oferece um serviço de orientações ao consumidor Sem risco - Confira algumas recomendações para evitar problemas com a fiação elétrica 1. Respeite as distâncias mínimas de plantio estipuladas no Estado. Com o novo projeto de lei, são exigidos 20 metros de distância entre o eixo da árvore e a fiação; 2. Se a árvore é de grande porte, pode ser uma boa ideia aumentar ainda mais a distância de plantio como prevenção. Em casos com o do eucalipto, por exemplo, que pode atingir até 30 metros de altura, a Celesc recomenda uma distância de 40 metros, 20 metros em cada latera; 3. A poda de árvores deve ser realizada somente por pessoas treinadas, pois pode causar acidentes. Procure ajuda da Celesc em casos de contato entre a vegetação e a fiação elétrica e orientação dos órgão oficiais em casos de corte preventivo.