A aprovação do projeto de lei 13/2018, que define a Rua Epitácio Pessoa como via gastronômica do município pela Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul na semana passada, pode trazer impulso para o setor gastronômico e vem provocando boas expectativas.  Para os donos dos atuais 12 restaurantes na via, a aprovação é uma promessa de investimentos e divulgação de seus estabelecimentos.
De acordo com o vereador Jaime Negherbon, autor do projeto aprovado por maioria, a intenção é proporcionar condições ao desenvolvimento desta atividade econômica, com a criação de um eixo de turismo gastronômico no município, a exemplo do que ocorre em outras cidades.
O vereador frisa que esse é só um primeiro passo para a via, que ainda depende de aprovação e verba do executivo municipal. O passo seguinte é buscar com a Prefeitura medidas para a via, como isenções fiscais, incentivos e sinalização própria, assim como investimentos em estacionamento e mobilidade para atender os restaurantes na via.  O projeto aprovado só formaliza a caracterização da via e abre as portas para novos projetos com o município e o governo do estado.
Eder Silva, proprietário do Sapore Bar e Cantina Italiana, destaca que o setor só tem a ganhar com a definição. "Acho que com isso s pessoas vão pensar justamente na Epitácio ao falar em gastronomia e investimentos no setor. De repente até dá para fazer projetos como ciclos gastronômicos e festival gastronômico, como tem em Joinville", aponta. Segundo o gabinete do vereador, até o começo de abril deve ser agendada uma reunião com os donos dos restaurantes e o poder público para estabelecer novos passos para o desenvolvimento da região.
Para o Núcleo de Hospitalidade ACIJS-APEVI, a criação do conceito de vias gastronômicas é uma decisão acertada no sentido de estimular o setor, ao lado da infraestrutura que o setor público deve oferecer para a consolidação de empreendimentos, e de ações de capacitação e melhoria que já são desenvolvidas em parceria com o SEBRAE/SC, como é o caso do projeto Food Experience.
"É uma iniciativa fundamental para a cidade porque soma a muitos esforços que são feitos para que a gastronomia seja inserida como produto turístico. Cidades que têm um olhar diferenciado, que trabalham o setor como um elemento que agrega às outras atividades voltadas ao turismo, ganham mais potencialidade nas suas economias", assinala Cintia Buzian, coordenadora do Núcleo de Hospitalidade, lembrando a realização da primeira edição do Festival Degusta Jaraguá, no mês de junho, como outro destaque para o setor.

Turismo é importante agregador de recursos

Especialistas da área indicam que o turismo é um importante gerador de recursos a partir do momento em que os roteiros de visita agregam elementos como a cultura, etnia e a gastronomia - no ano passado, dos 880 eventos cadastrados no Calendário Nacional de Eventos, mais de 100 foram destinados à valorização da gastronomia.
Santa Catarina não é exceção neste contexto. Pelas suas características, o Estado concentra grande potencial no turismo gastronômico associado às demais atrações que têm atraído visitantes de todo o Brasil e do exterior. De acordo com o IBGE, durante os três meses da temporada de verão 2017/2018 - dezembro, janeiro e fevereiro - Santa Catarina atraiu 2,5 milhões de turistas que geraram R$ 10,1 bilhões na economia estadual.
Na microrregião, há uma forte carência de dados quanto ao setor gastronômico e turístico. Como apontado por O Correio do Povo em janeiro deste ano, coletar dados sobre o setor turístico é um dos desafios encarados pelas Prefeituras da região. Segundo o diretor de Turismo da Prefeitura de Jaraguá do Sul, Marcelo Nasato, o município passou seis anos sem levantamentos de dados sobre o turismo.