Com profundo pesar, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) comunica o falecimento do sargento da Polícia Militar, Marcos Antonio Vitto, por parada cardiorrespiratória, durante operação deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) na manhã desta quinta-feira, em Passo Fundo (RS).

Vitto, natural de Turvo, tinha 45 anos e, além da esposa, deixa dois filhos, de 1 e 4 anos de idade.

O sargento atuava há 22 anos na Polícia Militar de Santa Catarina, tendo passado pelo 4º Batalhão da PM, em Florianópolis, e pela Casa Militar do MPSC, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça.

Tornou-se membro do Gaeco de Criciúma em 2016, trabalhando desde então em conjunto com as Promotorias de Justiça na repressão ao crime organizado no estado.

Comportamento excepcional

Ao longo de toda sua trajetória, Vitto teve o comportamento considerado como excepcional dentro da corporação.

Recebeu elogios por serviços prestados no policiamento ostensivo, além de homenagens pelos 10 e 20 anos de serviço e por mérito pessoal, por meio de um brasão concedido em 2016.

A Coordenação Administrativa da Comarca de Criciúma estabeleceu luto oficial por 3 dias nas Promotorias de Justiça do município.

"Neste momento tão difícil e de dor, o MPSC presta sua solidariedade aos familiares, amigos e colegas de trabalho", acrescentou o MPSC, em comunicado.