Os irmãos, Sandra (esquerda), Sebastião (centro) e Rose Iaroch (direita) / Fotos: Divulgação
Os irmãos, Sandra (esquerda), Sebastião (centro) e Rose Iaroch (direita) / Fotos: Divulgação

Após 20 anos de procura, familiares, enfim, localizaram Sebastião Iaroch, de 54 anos.

O pedido de ajuda surgiu no dia 21 de junho, quando a sobrinha, Thainá Iaroch, entrou em contato com o portal OCP News Criciúma, via redes sociais.

A divulgação teve desfecho positivo e ajudou a família a encontrar Sebastião, que está morando no bairro Ana Maria, em Criciúma.

Conforme Thainá, Sebastião é natural de Caçador, no Oeste catarinense, mas estava morando em Criciúma, no bairro Operária Nova, quando sumiu.

Foram duas décadas de angústia e procura e, as irmãs, Rose e Sandra, e a sobrinha, saíram de Biguaçu, na Grande Florianópolis, para o tão esperado reencontro.

Novamente, a sobrinha entrou em contato com o portal OCP, desta vez, para agradecer e anunciar a localização do tio.

Confira o recado:

“Gostaria de mandar uma mensagem de agradecimento a vocês por terem feito a matéria do desaparecimento de meu tio Sebastião. No domingo, dia 19, encontramos meu tio, em Criciúma, no bairro Ana Maria. Ele se encontra morando em uma casinha de madeira, com os reciclados dele. Sua primeira ex-esposa, a da matéria do jornal de 20 poucos anos atrás, Maura, e sua companheira Raquel, moram os três juntos, um ajudando da forma que pode ao outro. Ficamos felizes demais em ter encontrado meu tio. Minha mãe e minha tia ficaram realizadas ao ver o irmão delas. Meu tio também ficou extremamente feliz. Levamos uma cesta básica grande para ajudar eles. Para quem quiser ajudar meu tio com cesta básica, ele se encontra morando no bairro Ana Maria, na Rua São Judas Tadeu, casa 141. Eu, Thainá, minha mãe Rose e minha tia Sandra agradecemos de todo coração vocês pela matéria. Essa matéria levou as pessoas que conheciam meu tio a entrarem em contato e ajudarem com o endereço, onde ele se encontra hoje”, escreveu.

Da esquerda para a direita: Sebastião, Rose, Raquel, Sandra e Maura

Sobre o reencontro

“Foi emocionante. Assim que chegamos no endereço que a UBS do Ana Maria nos passou, paramos para pedir informação sobre onde meu tio Sebastião morava. Uma moça nos atendeu e chamou meu tio pelo apelido Bastião aí chamou ele na casa ao lado dela. Assim que minha mãe e minha tia viram ele, os três ficaram emocionados e começaram a chorar. Foi uma sensação boa de ver a felicidade dos três irmãos juntos novamente. Passamos a tarde com ele, ajudamos com uma cesta básica grande, pois ele é uma pessoa bem simples, pois continua trabalhando como catador de reciclagem. Meu tio é uma pessoa muito amada, ele é um amor de pessoa. Esse dia foi um dos dias mais importantes para nós”, concluiu.

 

Leia também >>>

Família procura há mais de 20 anos por homem que desapareceu em Criciúma

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul