A cidade de Brusque teve confirmado o primeiro caso de sarampo após quase duas décadas sem registrar a doença. O paciente, um menino de um ano e dois meses, é morador do bairro Dom Joaquim. A confirmação foi feita pela Secretaria de Estado da Saúde, a partir de exames efetuados no Laboratório Central (Lacen), em Florianópolis.

Os chamados “bloqueios de contenção”, nos quais técnicos realizam vacinação, orientação e monitoramento, impediram que a doença se alastrasse para outras pessoas do círculo de convívio. Apesar do susto, a criança já foi medicada e não corre nenhum risco.

A notificação compulsória ocorreu na primeira quinzena de dezembro, quando a criança deu entrada em uma unidade básica de saúde (UBS) com os sintomas da doença – tosse, febre, coriza e manchas no corpo. Na ocasião, técnicos da Vigilância em Saúde vacinaram 28 adultos, além de verificarem as crianças que tiveram contato com o paciente. Todas estavam com as carteiras de vacinação em dia.

Segundo a enfermeira Alícia Maria de Andrade Fagundes, diretora de Vigilância em Saúde de Brusque, a única maneira de prevenção contra o sarampo é a vacinação, que está disponível em todas as UBS que possuem sala de vacina, além da Policlínica Central.

“O ideal é que o morador vá com sua carteira nos postos de saúde, para que o vacinador possa conferir e aplicar a dose quando necessário. Em fevereiro, o Ministério da Saúde vai promover uma grande campanha, mas até lá, ele já poderá procurar a UBS, visando sempre a prevenção”, comenta.

Quer receber as notícias no WhatsApp?