O presidente da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC), e prefeito de Cocal do Sul, Ademir Magagnin, divulgou parte do conteúdo do novo decreto que deverá valer a partir de quinta-feira nos 12 municípios da região, a qual é considerada como gravíssima em relação à Covid-19.

Antes, o decreto será aprovado pela Comissão Intergestores Regional (CIR), secretários de Saúde da AMREC, mais a coordenadora regional de saúde, representante do Estado.

Medidas

Nos próximos 14 dias, a partir de quinta, os serviços essenciais, como supermercados e padarias, por exemplo, só irão funcionar de segunda a sexta-feira, até às 21h, sábado, até meio-dia, e domingo serão fechados.

Os serviços não essenciais, como bares, restaurantes e similares, só irão funcionar de segunda a sexta-feira, até às 21h, e sábado e domingo serão fechados, assim como as academias.

“Nós acreditamos que essas medidas vão de encontro a um problema que está ocorrendo nas cidades. Eu acredito que a população que tem nos abordado inúmeras vezes, pedindo por mais restrições, receba esse gesto, que é muito difícil. Mas contamos que, com isso, a população também faça a parte dela”, apontou Magagnin.

Encontro ocorreu nesta tarde / Foto: Divulgação

Fiscalização

Ele acrescentou que a fiscalização será ainda mais reforçada a partir de então.

“Os municípios vão entrar com uma fiscalização muito mais rigorosa do que ocorre hoje. Vamos cobrar de fato que a população também participe do combate ao coronavírus, porque se for só através de medidas, nós não vamos conseguir combater. A população tem que fazer a sua parte. Somando os esforços dos prefeitos e da população, vamos conseguir atenuar essa curva”, colocou.

Situação preocupante

Em conversa com profissionais da saúde, esses relataram, em reunião nesta tarde, que a situação é bastante preocupante, que os leitos de UTI já estão cheios e que há uma expectativa de que, nas próximas três ou quatro semanas, os números venham a crescer ainda mais para só depois a situação ser estabilizada.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp