Até o fim de novembro, os alunos de 2º, 5º e 9º anos das escolas municipais de Joinville participam das avaliações somativas do projeto Bússola.

Conforme a prefeitura, o processo é importante para verificar a proporção em que os objetivos de aprendizagem foram atingidos até o fim do ciclo do qual o aluno faz parte, e irá gerar o Índice de Desenvolvimento da Educação Municipal (Idem).

Os alunos que estão concluindo o 2º ano fazem avaliações de Língua Portuguesa e Matemática, e têm sua avaliação relacionada à Matriz de Alfabetização do MEC.

Já os alunos de 5º ano também respondem às avaliações de Língua Portuguesa e Matemática, e fazem uma produção textual. Enquanto os alunos do 9º ano serão avaliados em Língua Portuguesa, Matemática, Ciências da Natureza, História e Geografia, e em produção textual.

“É o momento para avaliar se aquele aluno conseguiu desenvolver as habilidades que se espera. No segundo ano, o aluno deve estar plenamente alfabetizado; no 5º, ele termina os anos iniciais, o antigo primário, e conclui uma etapa de educação inicial, e o 9º ano é quando termina o Ensino Fundamental”, explica o secretário de Educação de Joinville, Diego Calegari.

Esta é a primeira vez em que a Rede Municipal de Ensino de Joinville tem um sistema próprio de avaliação em larga escala. Até então, eram usados os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica realizado pelo Ministério da Educação (MEC).

Porém o resultado é divulgado somente um ano após a realização das avaliações, impedindo uma política efetiva de recomposição da aprendizagem.

As provas foram desenvolvidas pelo Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAEd/UFJF) e estão sendo aplicadas por profissionais contratados pela entidade.

Os resultados estarão disponíveis para os gestores da Secretaria de Educação e das Escolas Municipais identificarem onde estão as dificuldades de aprendizagem e traçar prioridades e estratégias para atuação em cada nível: aluno, turma, escola e Rede Municipal.

Gratificação a servidores da Educação

O atingimento das metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Municipal está entre os critérios para o recebimento da gratificação anual, que faz parte do programa instituído em 1º de julho de 2022, por meio da Lei 9.214/2022.

Segundo a prefeitura, o programa possibilita que os servidores efetivos e temporários que trabalharam nos Centros de Educação Infantil e Escolas Municipais de Joinville recebam uma gratificação pelos resultados obtidos no ano letivo.

O cálculo será feito levando em consideração a carga horária do profissional e o atendimento individual a critérios como a comprovação de frequência mínima anual de 96%, a participação nos programas de formação continuada, entre outras orientações estabelecidas pela Secretaria de Educação.

A gratificação poderá chegar a R$ 8 mil para servidores em funções com atuação direta no ensino e a R$ 4 mil para servidores que compõem a equipe de apoio das unidades escolares e em funções administrativos-operacionais.

“Essa é uma política extremamente importante e muito bem sucedida em vários outros municípios e Estados do Brasil que já a implantaram, pois incentiva, valoriza e reconhece o esforço dos profissionais da Educação que se dedicam muito, que são muito comprometidos. O que estamos fazendo é valorizar e reconhecer a busca por resultados através de metas, e com isso dar um direcionamento para a escola em relação ao que é importante e o que deve ser buscado dentro dos esforços escolares. É uma política fundamental para a qualificação da educação de Joinville no longo prazo”, analisa Calegari.