Mais de 32,9 mil alunos das redes municipais de educação e outros 15,7 mil na rede estadual retomaram a rotina na sala de aula durante a segunda-feira (11) nos cinco municípios da microrregião. Além de reencontrar colegas e professores, muitos estudantes também encontram novidades pedagógicas e estruturais dentro das escolas.

Em Guaramirim, o aprendizado da língua inglesa, que começava a partir do 3º ano do ensino fundamental, passou a ser matéria na alfabetização. De acordo com a secretária de Educação, Marja Rebelato, são aproximadamente 3 mil alunos beneficiados com a ação.

Ela explica que a decisão foi tomada após reunião de avaliação realizada no final do último ano letivo.

“Constatamos que seria mais adequado que a criança pudesse ter o contato com a língua inglesa desde o 1º ano. Sabemos que eles já têm acesso a palavras em inglês em desenhos animados, joguinhos e, diante disso, decidimos que melhor seria oferecer o aprendizado a medida que ela chega para iniciar o processo de alfabetização”, afirma.

O investimento, conta Marja, é de aproximadamente R$ 50 mil mensais com pagamento e encargos dos nove professores da disciplina que serão efetivados. Eles foram chamados a partir do concurso público realizado no segundo semestre do ano passado. Já o investimento em materiais didáticos ainda não foi fechado.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

A efetivação de professores, destaca a secretária, também demonstra a preocupação em tornar a ação contínua e não apenas trabalho de uma administração.

A secretária ressalta ainda a importância de inserir o ensino de língua estrangeira desde o início da alfabetização, garantindo assim maior efetividade e interesse dos alunos.

 

Investimento em tecnologia

Em Jaraguá do Sul, além do fornecimento de kits de uniforme escolar para todos os alunos da rede municipal de ensino, a novidade é a parceria firmada para utilização da plataforma Google for Education, que já está liberada para os professores, afirma o secretário de Educação, Rogério Jung.

O secretário destaca a ação como forma de disponibilizar ferramentas aos professores que sejam capazes de diversificar o método de ensino tornando a escola um local mais atrativo.

“Eu acredito que isso vai começar a transformar Jaraguá do Sul. As aulas tradicionais já não chamam a atenção e, assim, começam a ficar mais atrativas tanto para o professor quanto para o aluno”, afirma.

A plataforma disponibiliza inúmeras ferramentas para os professores que podem ampliar a maneira de exposição dos conteúdos e, além disso, criar atividades alternativas.

Segundo Jung, em um primeiro momento cerca de 700 profissionais entre professores, coordenadores, diretores e quatro alunos definidos pela escola que devem servir de monitores, passam por essa capacitação em um investimento estimado de R$ 700 mil. Depois, conta ele, serão outros 500 profissionais capacitados com um investimento estimado de R$ 500 mil.

A compra dos 1.290 chromebooks – equipamentos semelhantes a notebooks, mas com sistema Chrome OS –, explica Jung terá investimento estimado de R$ 2,4 milhões, mas o valor deve ter uma economia de cerca de 25 % a 30% durante o processo licitatório. O secretário acredita que a licitação seja lançada ainda neste mês com compra e instalação projetadas para o final de março.

Sistema Aprende Brasil

Em Corupá, a utilização do Sistema Aprende Brasil, da editora Positivo, entra em seu segundo ano e com ampliação do número de alunos que utilizarão o material.

Segundo a secretária de Educação, Rosane Martini Berti, no ano passado, o material era utilizado com os alunos do pré ao terceiro ano e, em 2019, engloba também os estudantes do quarto ano do ensino fundamental.

Com isso, o número de alunos estudando com os materiais do Aprende Brasil passou de cerca de 850 em 2018 para aproximadamente 1,1 mil alunos em 2019.

“É um sistema por apostila, onde em cada bimestre os alunos recebem uma nova com a oportunidade de desenvolver novas atividades. Isso facilita também para o professor, uma vez que quando ocorrem transferências durante o bimestre, ele sabe como está o aprendizado do aluno e pode dar continuidade”, analisa.

A secretária ressalta ainda que o Sistema trabalha com o mesmo método de países desenvolvidos, dividindo o conteúdo em apostilas potencializando o aprendizado e o acompanhamento aluno-professor.

O investimento no material, que fica com o aluno, é estimado em R$ 447 mil por ano, de acordo com a secretaria.

Um dia de ensino integral

Os alunos do nono ano da rede municipal de Massaranduba passam a ter um dia inteiro de aula por semana a partir deste ano. Na carga horária, estão duas aulas a mais de matemática, outras duas de português e um encontro com psicólogo para tratar de temas transversais como sexualidade e mercado de trabalho.

O secretário de Educação, Cristino Tironi, também fala da implantação do programa de musicalização nos primeiros e segundos anos do ensino fundamental e anos iniciais, ampliação das aulas de inglês para as turmas de terceiro e quarto anos do ensino fundamental e anos iniciais, e ampliação do número de aulas para os pré escolares.

Um projeto de combate ao bullying, criado na escola Padre Bruno Linden será extendido para todas as 13 unidades.

“O projeto pretende que os alunos relatem o que sofrem através de bilhetes. Todo mês a equipe abre a caixa, vê os casos que vieram e dá encaminhamentos”, destaca o orientador pedagógico dos anos finais, Simão Henrique Jakobowski.

A rede também segue com o modelo de ecoformação para incentivar projetos criativos dentro das unidades e que visem a formação do aluno como ser humano, assim como o projeto Ada, que trata de educação emocional com as crianças da educação infantil.

Schroeder com mais estrutura

De acordo com o secretário de Educação de Schroeder, Harildo Konell, abrir as portas da escola Emílio da Silva a mais de 500 alunos é uma das conquistas neste início de ano letivo.

A estrutura enfrentou paralisação no corte de recursos federais, o abandono da empresa responsável, entre outros problemas. O investimento é de R$ 2 milhões.

Konell também ressalta, no âmbito pedagógico, a importância de projetos de destaque desenvolvidos na escola Santos Tomaselli – como de robótica e educação ambiental –, que devem continuar.

Além disso, o secretário ressalta a importância de manter os professores bem motivados. “É isso que faz nosso Ideb crescer, é preciso enaltecer o trabalho do professor”, finaliza.

 

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?