Alunos da rede municipal de ensino de Criciúma devem retornar as salas de aula para o ensino presencial nesta terça-feira (1º). A decisão e os procedimentos a serem tomados foram detalhados pelo prefeito Clésio Salvaro, os secretários de Educação e Saúde, além do vice-prefeito e de funcionários do Município, em live na manhã desta segunda-feira (31).

Conforme Salvaro, a decisão foi tomada após visita das autoridades as 66 escolas de Criciúma, verificando a baixa adesão dos alunos as aulas. "Tinha salas com professor e somente um aluno, salas com dois, três alunos. Tinha até salas fechadas", afirmou Salvaro.

Mesmo com a modalidade remota, conforme o Município, as atividades não vem sendo realizadas. "Na nossa maior escola de Criciúma, mais de 100 mil cópias de apostilas atividades foram feitas e só metade disso foi buscado pelos pais. E pior, menos da metade das atividades voltou feita", afirmou o secretário de Educação, Miri Dagostim.

Medidas de prevenção

Durante toda a transmissão o prefeito tratou do retorno como "um ato de restrição, não de liberação" como ele mesmo pontuou. Conforme Salvaro, o ambiente escolar é extremamente seguro. "Dá quase para dizer que a escola é mais segura que a nossa casa, porque na minha casa eu não fico de máscara e nas escolas há máscaras para todas as crianças, álcool em gel na porta de cada sala, distanciamento. Até o lanche é servido na carteira de cada crianças", reforçou o chefe do Executivo.

Ausência dos alunos pode acarretar no acionamento do Conselho Tutelar

Conforme as autoridades, os pais que não enviarem as crianças para a escola serão acompanhados. Haverá visitas nas casas e orientação. "Nós vamos encaminhar o serviço social que também fará visita in loco, e se não funcionar vamos encaminhar o Conselho Tutelar. Ainda, se necessário, vamos lá conversar com a família porque precisamos resgatar o aluno e trazê-lo para a sala de aula”, explicou o secretário de Educação, Miri Dagostim

A Prefeitura preparou um vídeo explicando o retorno. Confira:

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp