O Consórcio Intermunicipal de Saneamento Ambiental (Cisam-Sul), agência reguladora de Criciúma, não autorizou o reajuste inflacionário solicitado pela Casan, de R$ 2,55, para a tarifa já a partir de dezembro deste ano.

O não reajuste representa uma economia mensal de aproximadamente R$ 200 mil para os consumidores.

O motivo da negativa, segundo a agência, é a necessidade do intervalo de 12 meses entre reajustes, o que está previsto no contrato de programa com o Município.

Pelo prazo, o reajuste inflacionário deve ocorrer em março de 2021, mas, segundo o superintendente da Agência Reguladora, Antônio Willemann, durante as negociações do ano que vem serão confrontados os investimentos feitos pela Casan e os custos para gerir o sistema, para depois definir a nova tarifa.

O pleito da Casan foi feito a todas as agências reguladoras do Estado.

 

 

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp