Com o crescimento vertiginoso da aposta esportiva no Brasil desde sua legalização em 2018, não é surpresa que a procura por casas de apostas também despontou em Santa Catarina. O mercado movimentou R$7 bilhões no Brasil em 2020, quando o mundo enfrentou a pior fase da pandemia da Covid-19, e a previsão é de que a aposta esportiva gere cerca de R$12 bilhões em 2023.

Em Santa Catarina, a procura é grande para a aposta em futebol, afirma a especialista em aplicativos de apostas esportivas, Débora Dias. “Há um aumento considerável no volume de apostas quando o Avaí joga o Brasileirão. Nas quatro rodadas jogadas até agora, notamos um aumento do fluxo no nosso site dos usuários catarinenses e é legal ver o mercado crescendo em ritmo acelerado no estado”, aponta Débora.

Mas não para no Avaí! Tradicionais clubes como o Flamengo e o Corinthians têm enorme torcida em Santa Catarina. “É natural que, em grandes clássicos como o Palmeiras e Corinthians pela 3a rodada da Série A, o volume de apostas seja maior”, explica a gerente de conteúdo do Aplicativos de Apostas. São clubes com enormes torcidas e grande poder midiático, “é normal gerar mais expectativa e, consequentemente, mais apostas nos sites e aplicativos especializados”, conclui Débora.

Apesar do cenário já aquecido, a tendência é a aposta esportiva se tornar ainda maior no país. Após o ex-presidente Michel Temer legalizar a aposta esportiva em 2018, foi possível notar um forte crescimento do setor. Novas operadoras chegaram ao país, disponibilizando sites e aplicativos totalmente adaptados ao Brasil.

“É interessante notar que essas operadoras já aderem ao mercado nacional com plataformas não apenas traduzidas para português, mas feitas para brasileiros. A maioria dos aplicativos e sites de apostas já oferecem Pix e boleto como método de pagamento, atendimento ao usuário em português e muitas opções de eventos focados no público brasileiro”, ressalta Débora.

A legalização do mercado definitivamente abriu as portas do país às empresas estrangeiras. A movimentação bilionária gerada pela a aposta esportiva no Brasil tornou-se o assunto central do debate sobre o setor no país. O governo brasileiro vê na regulamentação do mercado da aposta esportiva uma nova fonte de receita. A expectativa é de que o governo regulamente a atividade até o final de 2022.