A Secretaria Municipal de Saúde de Jaraguá do Sul informa, através de boletim divulgado nesta quinta-feira (7), a confirmação de sete casos de sarampo em Jaraguá do Sul. Na terça-feira (5), um caso já havia sido confirmado.

Segundo o boletim, 34 casos suspeitos estão em investigação. Foram coletadas 13 amostras para análise no município, sendo que sete casos foram confirmados através de exame laboratorial e dois negativos realizado pelo Lacen/SC. No momento, quatro pessoas ainda aguardam resultados dos exames.

A Vigilância Epidemiológica Municipal, em conjunto com a Vigilância do Estado, está realizando as ações de investigação e bloqueio vacinal dos demais casos notificados relacionados ao evento de massa ocorrido no dia 18 de outubro, em Joinville.

Com 24 casos confirmados, a situação do município de Joinville é considerada como surto.

O sarampo é uma doença respiratória, que apresenta aparecimento de erupções cutâneas vermelhas agudas e extremamente contagiosa, que pode evoluir com gravidade e causar com complicações como pneumonia e encefalite.

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar. O contágio tem sido descrito por dispersão de aerossóis com partículas virais no ar, em ambientes fechados, como escolas, creches e clínicas.

O sarampo é transmitido seis dias antes e quatro dias após o aparecimento do exantema (manchas vermelhas), sendo o período de maior risco dois dias antes e dois dias após o início do exantema.

No Brasil, o sarampo é uma doença de notificação compulsória por isso devem ser notificadas às secretarias de saúde em até 24 horas.

Sintomas e recomendações

Os sintomas do sarampo são:

  • febre alta
  • tosse
  • coriza
  • olhos avermelhados
  • manchas vermelhas no corpo

Pessoas que apresentarem esses sintomas devem procurar a Unidade de Saúde para avaliação clínica e é muito importante que, nesse caso, evitem a circulação em locais com grande aglomeração de pessoas.

Vacinação em Jaraguá do Sul

A vacina tríplice viral é a maneira mais eficaz de prevenção contra o sarampo, além de proteger também contra rubéola e caxumba.

O Ministério da Saúde recomenda a intensificação da vacinação de rotina, conforme Calendário Nacional de Vacinação, com uma dose da vacina aos 12 meses e com reforço aos 15 meses; duas doses a partir de 12 meses a 29 anos de idade; e uma dose para a população de 30 a 49 anos de idade; além da dose zero para crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias.

Até o início da semana, Jaraguá do Sul aplicou no ano de 2019: 1.130 doses para crianças menores de 1 ano/ 4.211 doses em crianças de 1 ano a menor de 5 anos/ 3.516 na população de 5 a 29 anos/ e 7.531 em pessoas de 30 a 50 anos.

Informamos que ocorre, desde o mês de outubro, a Campanha Nacional de Vacinação seletiva contra o sarampo. A primeira fase da campanha já foi realizada e a segunda acontece agora no mês de novembro:

2º fase da vacinação: Novembro

Entre os dias 18/11 a 30/11, sendo o dia D, de mobilização nacional, em 30/11.
Público alvo: adultos jovens não vacinados na faixa etária de 20 a 29 anos de idade.

Casos de sarampo em pessoas previamente vacinadas

As vacinas contra o sarampo atualmente disponíveis são altamente efetivas e capazes de induzir proteção para todos os genótipos do vírus circulantes no mundo.

É importante ressaltar ainda que o sarampo, apesar de possuir diversos genótipos diferentes, possui apenas um tipo antigênico, que permanece estável mesmo décadas após a introdução da vacinação no mundo.

O vírus do sarampo é extremamente contagioso, o que implica que é necessário uma elevada cobertura vacinal para que a circulação viral seja interrompida, porém surtos de sarampo podem ocorrer mesmo em populações com elevadas coberturas vacinais.

Nestas situações, é esperado que ocorram casos em pessoas previamente vacinadas, mesmo com o uso de vacinas altamente efetivas.

Essas falhas esperadas normalmente não constituem fator significativo na persistência e ocorrência de surtos.

A estratégia de vacinação atualmente estabelecida no Brasil já demonstrou ser capaz de interromper a circulação do vírus no país quando atingidas as coberturas vacinais adequadas, tendo sido responsável pela eliminação do vírus sarampo nas Américas.

 

Fonte: Prefeitura de Jaraguá do Sul

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger