Olhares ansiosos, porém muito concentrados na figura sentada à frente de todos. Cada gesto feito pelo maestro com as mãos é atentamente acompanhado pelos músicos que compõem a Orquestra Sinfônica do Femusc. São eles que ditarão o ritmo dos sons executados pelos instrumentos. Assim que as mãos são abaixadas, o som encerra mesmo que a obra ainda não tenha sido totalmente executada. O silêncio logo é irrompido por uma nota distinta ou um desavisado que não percebeu a pausa. Em um concerto, isso jamais aconteceria, porém, durante as tardes dos femusckanos isso é bem comuns. Ainda mais se tratando de um ensaio de orquestra, nesse caso liderada por Alex Klein. Durante todos os dias do Festival de Música de Santa Catarina (Femusc), os alunos dividem-se entre aulas, apresentações e ensaios, este último encarado por muitos como mais uma forma de aprender e melhorar enquanto músico no coletivo. Com paciência e vontade de elevar ao máximo o nível da apresentação, o maestro e oboísta trabalha cada um dos naipes (grupos instrumentais) que completam a orquestra. Chama a atenção e faz piadas, trazendo leveza ao ensaio. Ora falando inglês, português e outras vezes em espanhol, ele dá dicas de como devem ser executadas as notas e como os sons devem sair. “Uma sinfonia é uma obra muito complexa. No caso de um Tchaikovsky eu queria fazer a comparação com uma sociedade. Você tem que ter o semáforo funcionando, alguém que arruma carros, médicos, escolas e, às vezes, como prefeito você tem que dar atenção a certos departamentos para ter certeza que eles estão funcionando bem, mesmo que não que eles não sejam de direto controle da prefeitura. Esse é o trabalho do maestro, ir de naipe em naipe, sessão em sessão da orquestra, para ter certeza que todos estão em linha”, afirma o maestro Alex Klein. Mais do que coordenar no ritmo e no tempo certo da orquestra, o maestro tem a responsabilidade de se colocar no lugar do compositor e transmitir os sentimentos aos músicos para que eles toquem com tal intensidade e passem tudo isso ao público. “Nós enquanto crianças somos arteiros, somos expressivos e a sociedade nos ensina a ser todos iguais, a engavetar um pouco algumas emoções extremas como sendo anti-sociais. Mas o artista tem que ter todas as emoções à flor da pele para representar o que elas significam para o público. Eu, enquanto maestro, estou pedindo para eles voltarem a ser crianças, encontrar onde está a ternura, onde está o amor do ser humano e ter coragem de botar isso no seu violino ou outro instrumento”, enfatiza. Para o paulista João Marcos Rosa, 19anos, o ensaio é um momento de aprendizado. “Aqui é a parte prática, onde aprendemos todas as partes musicais da obra de forma diferenciada. Prestamos atenção em tudo e temos que pensar e agir coletivamente para que tudo saia corretamente no concerto”, explica. O chileno Pablo Carrasco, 18 anos, encara os ensaios como o espaço que a orquestra tem para alcançar melhores resultados, se permitindo errar naquele momento e aprender com isso. “É o momento para resolvermos os problemas para que a música chegue completa ao concerto”, afirma. A boa dose de concentração, acompanhada de um certo tom de saudade, e a animação da Orquestra Sinfônica poderá ser acompanhada no último dia do Femusc. O grupo integra a programação de encerramento do Festival na série Grandes Concertos, amanhã, às 20h30. FOTO DO DIA _PRF7736

Para matar a saudade de casa e manter a família sempre por perto durante o 11ª Festival de Música de Santa Catarina (Femusc), violinista pendurou fotografias na caixa onde guarda o instrumento. Uma verdadeira caixa de preciosidades guardada com amor e cuidado pela jovem que ensaiava na rampa do Centro Cultural

  PROGRAMAÇÃO Quinta-feira (28) • 9h - Série Femusc nos hospitais - Local: Hospital São José • 12h - Série Femusc no Shopping - Local: Jaraguá do Sul Park Shopping • 15h - Série Femusc nos hospitais - Local: Hospital São José • 15h - Série Femusc no Lar das Flores Local: Lar das Flores • 18h - Série Piano Masters - Local: Sala 201 da Scar • 18h - Série Recitais de Canto Lírico - Local: Sala de Exposições da Scar • 19h - Série Momento Springmann - Local: Pequeno Teatro da Scar • 19h - Série Violão Plus - Local: Piano Bar da Scar • 20h - Série Musicalmente Falando - Local: Grande Teatro da Scar • 20h30 - Série Grandes Concertos - Local: Grande Teatro da Scar Obras: Pachelbel, Johann - Canone em ré maior Molnar, Josef - Spring rain Cohen, Michael - Appassionata Grupo de Harpas do Femusc Shostakovich, Dmitri - Quarteto de Cordas n. 3, mvts 2 e 3 Projeto Serioso Regência: Richard Young (viola) Grupo de metais Haydn, Franz Joseph - Sinfonia n. 88 Camerata Promusc Regência: Simon Bernardini • 20h30 - Série Recitais de Câmara - Local: Pequeno Teatro da Scar Sexta-feira (29) • 12h - Série Femusc no Shopping - Local: Jaraguá do Sul Park Shopping • 18h - Série Piano Masters - Local: Sala 201 da Scar • 18h - Série Recitais de Canto Lírico - Local: Sala de Exposições da Scar • 19h - Série Momento Springmann - Local: Pequeno Teatro da Scar • 19h - Série Violão Plus - Local: Piano Bar da Scar • 20h - Série Femusc em Pomerode - Local: Grande Teatro da Scar • 20h - Série Musicalmente Falando - Local: Grande Teatro da Scar • 20h30 - Série Grandes Concertos - Noite de Ópera Local: Grande Teatro da Scar Obra: Bizet, Georges - Carmen • 20h30 - Série Recitais de Câmara Local: Pequeno Teatro da Scar *A programação completa e a série Grandes Concertos ao vivo pode ser conferida no site www.femusc.com.br. Os ingressos são gratuitos e começam a ser distribuídos com dois dias de antecedência dos espetáculos.